sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Ex-Miss Universo Alicia Machado confirma que Trump lhe chamou "Miss Piggy"

Alicia Machado alcançou fama internacional ao ser coroada Miss Universo, em 1996, quando tinha apenas 19 anos. Agora, 20 anos mais tarde, está novamente na ribalta. Alicia Machado veio confirmar que Donald Trump lhe chamou "Miss Piggy", quando começou a ganhar peso algum tempo depois de conquistar o título. A polémica foi abordada por Hillary Clinton no debate desta segunda-feira com o candidato republicano.

Numa acesa troca de palavras com Donald Trump, a candidata democrata à presidência dos Estados Unidos reagiu às acusações de que "não tem o aspeto" e "não tem o vigor" para ocupar o cargo, relembrando algumas declarações de Trump sobre as mulheres:

"Este é um homem que chamou as mulheres de porcas, desleixadas e cadelas e é alguém que já disse que a gravidez é um contratempo para os empregadores, que as mulheres não merecem receber o mesmo que os homens, a menos que façam um bom trabalho como os homens".

Em relação ao caso de Alicia Machado, Hillary Clinton frisou:

"Uma das piores coisas que disse foi sobre uma mulher num concurso de beleza. Ele adora esse tipo de competições, anda sempre atrás delas. E ele chamou a essa mulher "Miss Piggy" (Miss Porquinha) e depois "Miss Housekeeping" (Miss Dona de casa), porque ela é de origem latina. Donald, ela tem nome, é Alicia Machado. Ela agora é cidadã norte-americana, imaginem em quem vai votar em novembro."

Num vídeo publicado no Twitter da campanha de Clinton, Alicia Machado diz que Trump ameaçou retirar-lhe a coroa de Miss Universo depois de ela ter engordado.

"Ele foi insuportável. Eu tinha medo dele. Gritava comigo a todo a hora e dizia-me: és feia, és gorda!". "Às vezes gozava comigo e dizia: 'Olá, Miss Piggy', 'Olá, Miss Housekeeping'".

Alicia conta também que Trump convidou a comunicação social para assistir a uma das suas sessões de trabalho. Na mesma altura, deu uma entrevista na qual disse aos jornalistas que ela pesava 53 Kg e que tinha passado a pesar 72 Kg. "Aqui está alguém que gosta de comer", terá acrescentado.

Depois deste episódio, Alicia Machado sentiu-se "muito humilhada, como se fosse um ratinho de laboratório", o que lhe causou "enorme sofrimento" e contribuiu para que viesse a ter "distúrbios alimentares".

Luis Alonso Lugo/ AP

Alicia Machado conquistou o título de Miss Universo ao representar o seu país, a Venezuela. No ano seguinte, em 1997, em entrevista ao Washington Post, explicou a propósito da polémica: "Quando me estava a preparar para a competição, estava obcecada com o facto de não engordar. Na altura em que venci o concurso pesava 52 Kg, era um esqueleto".

Toda esta controvérsia em torno de Donald Trump e Alicia Machado foi recuperada pela campanha de Hillary Clinton, que tem aproveitado este episódio da vida do candidato republicano para ilustrar o modo como encara as mulheres e o seu papel na sociedade, bem como a sua tendência para a discriminação racial e de género.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.