sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Clinton acusa Trump de eventual ilegalidade em negócios cubanos

A candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, afirmou esta quinta-feira que o seu rival republicano, Donald Trump, pode ter violado as leis norte-americanas ao explorar oportunidades de negócio em Cuba em 1998.

"Hoje ficámos a saber dos seus esforços para fazer negócios em Cuba que parecem violar as leis dos Estados Unidos e que, sem dúvida, ridicularizam a política externa norte-americana", declarou Clinton, aos jornalistas.

A antiga secretária de Estado criticou ainda Trump por ter "enganado repetidamente as pessoas ao responder a perguntas sobre se estava a tentar fazer negócios em Cuba".

A Newsweek revelou esta quinta-feira que, em 1998, Trump explorou negócios em Cuba através da consultora Seven Arrows Investment and Development para contornar o embargo que proibia investimentos na ilha.

Segundo a revista, a Trump Hotels gastou pelo menos 60.000 euros para explorar oportunidades de negócio com o Governo de Fidel Castro utilizando uma consultora e ocultando os motivos sob argumentos humanitários.

Naquela altura, qualquer investimento na ilha sem a aprovação expressa da Administração norte-americana era ilegal, apesar de então existirem já pressões para flexibilizar as sanções económicas, algo que acabou por ocorrer apenas sob a presidência do democrata Barack Obama, que restabeleceu as relações diplomáticas entre Washington e Havana.

Em 1999, Trump, que dava os primeiros passos na política, proferiu um discurso diante da comunidade cubana de Miami (Florida) em que criticou Castro e afirmou que não investiria um dólar na ilha sem uma mudança de regime.

Fontes do Departamento do Tesouro garantiram à Newsweek que, embora não possam provar categoricamente que a empresa de Trump não recebeu autorização para investir em Cuba, a probabilidade de um casino norte-americano ter tentado gastar dinheiro na ilha era de "praticamente zero".

Há pouco mais de uma semana, Donald Trump prometeu que, caso seja eleito Presidente, irá reverter a abertura dos Estados Unidos relativamente a Cuba promovida por Obama a menos que haja "liberdades religiosas e políticas" na ilha.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.