sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Trump poderá ter escapado aos impostos durante 18 anos ao declarar perdas de milhões

O candidato republicano à Casa Branca poderá ter evitado, legalmente, pagar impostos durante mais de 20 anos ao declarar perdas de 916 milhões de dólares em 1995, segundo um artigo publicado no sábado pelo jornal New York Times.

A questão dos impostos de Donald Trump é considerada fundamental e ao mesmo tempo sensível, atendendo a que o magnata do imobiliário recusou até à data tornar públicas as suas declarações de impostos, uma prática tradicionalmente realizada pelos candidatos à presidência dos Estados Unidos por uma questão de transparência. A sua rival, Hillary Clinton, já divulgou a respetiva declaração de impostos.

O New York Times diz ter tido acesso, através de uma fonte anónima, à declaração fiscal de Donald Trump de 1995, um ano em que segundo o jornal, Donald Trump terá "declarado prejuízos de 916 milhões de dólares".

Apesar de não serem conhecidas as declarações fiscais dos anos seguintes, esse montante poderá ter permitido a Trump consolidar, dentro da legalidade, os 50 milhões de dólares no seu lucro tributável anual "durante 18 anos", ou seja, até 2013.

Os alegados elevados prejuízos encaixados por Trump serão devidos, segundo o New York Times, a negócios mal sucedidos no mundo dos casinos de Atlantic City, na costa leste, e a outros desastres no setor da hotelaria e transportes aéreos.

Questionado sobre o artigo do New York Times, o candidato não reagiu de imediato.

A sua equipa de campanha publicou um comunicado que não faz menção aos 916 milhões de dólares de prejuízos, mas no qual afirma que Donald Trump é "um homem de negócios talentoso" e que "não paga mais do que os impostos exigidos por lei".

A equipa de Trump acusou ainda o New York Times de ser "o prolongamento da campanha de Clinton, do Partido Democrático e dos seus interesses específicos".

Lusa

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é portuguesa e há uma outra portuguesa desaparecida. Entretanto, uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Cambrils. As buscas centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Ágata candidata-se à Câmara de Castanheira de Pera
    3:42