sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eric Trump defende o pai: "gabar-se de agressões sexuais é conversa de personalidades alfa"

John Locher

Um dos cinco filhos de Donald Trump veio em defesa do pai. Isto, depois da divulgação da conversa com o apresentador Billy Bush em 2005, onde o candidato à presidência usou uma linguagem imprópria para falar sobre as mulheres. Eric Trump defendeu com unhas e dentes a reputação do pai.

O filho de 32 anos apareceu no jornal norte-americano The Gazette para falar sobre negócios, mas acabou por defender Donald Trump das acusações em relação à conversa sobre agressão sexual.

Eric Trump disse que o vídeo divulgado era "meramente uma conversa de balneário". Não contente com esta explicação, o filho do candidato foi mais longe ao dizer que as conversas sobre agressões sexuais a mulheres acontecem quando se juntam "personalidades alfa no mesmo espaço".

"Eu acho que foi um género de conversa de balneário", disse o Trump mais novo. "Quando homens se juntam, eles deixam-se levar e às vezes é isso que acontece quando personalidades alfas estão no mesmo espaço. Ao mesmo tempo, não quero dizer que ele está certo. Ele não é esta pessoa."

Para além destas desculpas, Eric Trump ainda culpou Hillary Clinton pela divulgação do vídeo, em que Donald Trump diz que pode beijar e agarrar as mulheres contra a sua vontade, só porque é uma celebridade. Já os responsáveis pela campanha de Donald Trump têm desvalorizado o assunto, assegurando que esta é a maneira como os homens falam.

As reações às declarações de Trump têm sido as mais diversas. O ator Scott Baio pediu às mulheres para "crescerem", se os comentários as ofendiam. O próprio Donald Trump disse que foi apenas uma "conversa de balneário". O político Rudy Giuliani disse à CNN que "os homens por vezes falam assim".

Todos estes comentários em conjunto com a resposta de Eric Trump servem não só para minimizar a situação, como também para a normalizar e a desculpar. Contudo, esta linha de pensamento serve para insultar homens e rapazes - vários atletas profissionais fizeram saber ao The Huffington Post que estavam contra as declarações de Trump e que aquilo "não era de todo conversa de balneário".

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.