sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

WikiLeaks divulga discursos de Hillary Clinton para a Goldman Sachs

Três dos discursos pagos que a candidata à Casa Branca Hillary Clinton fez para o banco de investimento Goldman Sachs foram divulgados no sábado pela WikiLeaks, revelando laços entre a democrata e Wall Street.

A campanha de Clinton não comentou sobre a autenticidade dos discursos, que faziam parte de um conjunto de documentos roubados dos emails do diretor de campanha John Podesta e divulgados pela WikiLeaks.

A campanha da candidata responsabilizou o Governo russo pela pirataria informática, uma posição partilhada pelo Governo norte-americano, e acusou a WikiLeaks de tentar ajudar o rival republicano de Clinton, Donald Trump.

Entre outros assuntos, os discursos mostram Clinton a partilhar opiniões sobre regulação financeira, sobre as relações com o Presidente russo Vladimir Putin e os efeitos negativos de anteriores divulgações da WikiLeaks para a política exterior norte-americana.

Num discurso em outubro de 2013 na Goldman Sachs, Clinton sugeriu que algo devia ser feito para controlar os abusos de Wall Street "por motivos políticos".

"Havia também a necessidade de fazer algo por motivos políticos, se fores um membro eleito do Congresso e muitas pessoas no teu distrito eleitoral estiverem a perder empregos e a encerrar os seus negócios e toda a gente na imprensa disser que a culpa é de Wall Street, não podes ficar quita e não fazer nada", afirmou.

Clinton fez estes discursos pagos ao gigante financeiro no período entre ter deixado de ser secretária de Estado e ter lançado a sua campanha eleitoral.

Os discursos de Clinton à Goldman Sachs têm sido alvo de crítica durante a campanha, quer durante as primárias disputadas com Bernie Sanders, que argumentou que a candidata não podia eficazmente regular empresas que lhe tinham pago, quer agora contra Donald Trump, que considera que Clinton manifestou preferência pela autorregulação de Wall Street, contrariando o seu discurso público.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.