sicnot

Perfil

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Eleições EUA 2016

Vitória de Trump no Twitter no primeiro debate contou com a ajuda de robôs

© Mike Segar / Reuters

Realiza-se esta quarta-feira o último debate entre Hillary Clinton e Donald Trump. Na véspera do derradeiro confronto entre os candidatos às presidenciais nos EUA, ficou a saber-se que durante o primeiro frente a frente, no qual Trump registou um elevado número de tweets favoráveis, mais de um terço pode ter sido publicado de forma automática. Tudo indica que estes votos tenham sido processados por máquinas e não por utilizadores reais.

De acordo com um estudo da Universidade de Oxford, divulgado pelo site The Next Web, 32,7% dos tweets pro-Trump publicados na noite do debate e nos quatro dias seguintes foram processados por máquinas (bots) e não por utilizadores reais.

Os autores da pesquisa alertam para a capacidade deste tipo de software na "manipulação da opinião pública". Na verdade, a ideia que ficou foi a de que pelo menos no Twitter Trump tinha vencido o debate, de forma esmagadora. Sabe-se agora que, como em muitas outras matérias, o candidato republicano terá tratado de produzir uma realidade encapotada.

O relatório da Universidade de Oxford está a ser contestado por apoiantes de Trump que dizem ser impossível ter certezas sobre as características das contas do Twitter, se pertencem a utilizadores de carne e osso ou a robôs, máquinas que processam os tweets para que estão programadas.

A notícia está a gerar, naturalmente, inúmeros comentários na rede social.

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.