sicnot

Perfil

Eleições França 2017

Fillon diz que ataques contra si visam destruir direita francesa

© Christian Hartmann / Reuters

O candidato da direita às eleições presidenciais em França, François Fillon, defendeu esta quinta-feira que as acusações de que tem sido alvo, de envolvimento em empregos fictícios da mulher, são uma tentativa de "destruir a direita e roubar-lhe votos".

"Não é justiça que procuram, é destruir-me. E, além da minha pessoa, destruir a direita, roubar-lhe os seus votos", afirmou num comício em Charleville-Mézières, no nordeste do país, que reuniu cerca de mil pessoas.

"Estes ataques não surgem do nada: foram cuidadosamente preparados, concebidos nas traseiras dos gabinetes que acabaremos por descobrir um dia", prosseguiu, após uma jornada de deslocações no nordeste de França, durante a qual tinha evitado responder a perguntas difíceis.

O ex-primeiro-ministro francês declarou-se responsável pelas suas decisões, dizendo: "Assumo a minha escolha de me apoiar na minha mulher e na minha família".

"Meus amigos, peço-vos que me ajudem a resistir, apesar de perceber que estas acusações perturbam alguns de vós, devido à sua insistência", lançou ainda ao público que acorreu a apoiá-lo.

O ministério público financeiro investiga desde a semana passada as atividades que permitiram a Penelope Fillon, segundo o jornal satírico Le Canard Enchainé, receber cerca de 900.000 euros brutos entre 1988 e 2013, como assistente parlamentar do marido e, a seguir, do seu sucessor na chefia do Governo, e como colaboradora de uma revista literária.

A investigação incide também sobre os empregos de dois dos seus filhos. Hoje, os investigadores, que já fizeram buscas na Assembleia Nacional e ouviram o casal Fillon, iam inquirir a secretária particular do candidato presidencial.

Segundo uma sondagem hoje divulgada, os apoiantes do partido de direita, os republicanos, continuam a depositar nele 58% da confiança, mas perto de sete franceses em dez (69%) desejam a sua substituição na corrida presidencial.

François Fillon, há muito considerado possível vencedor do escrutínio, seria agora eliminado à primeira volta, a 23 de abril, de acordo com outra sondagem, que o posiciona atrás da candidata de extrema-direita, Marine Le Pen (27%), e do centrista Emmanuel Macron (23%).

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.