sicnot

Perfil

Eleições França 2017

Dois em cada três franceses não ficaram convencidos com explicações de Fillon

© POOL New / Reuters

Dois em cada três franceses inquiridos numa sondagem divulgada hoje disseram não ter ficado convencidos com as explicações do candidato da direita, François Fillon, sobre os alegados empregos fictícios que criou para a mulher e dois filhos.

Na sondagem, realizada pela empresa Harris Interactive para a rádio RMC e a televisão BFM TV, apenas 26% dos 927 inquiridos, contactados após o final da conferência de imprensa de segunda-feira de François Fillon, se disseram satisfeitas com as explicações.Na conferência, Fillon pediu perdão por ter empregado a mulher e os filhos como assessores parlamentares, mas negou serem empregos fictícios, assegurando que mereceram o salário que receberam, o qual, no caso da mulher, ascendeu a quase um milhão de euros brutos em menos de uma década.

A argumentação de Fillon convenceu mais os inquiridos que se identificaram como simpatizantes da direita (58%) e em particular os que se dizem apoiantes do partido Os Republicanos (62%).

Em relação à semana passada, no auge da polémica em torno das revelações pelo semanário Le Canard Enchaîné, a percentagem dos inquiridos que consideram que Fillon deve manter a candidatura subiu quatro pontos percentuais para 35%, mantendo-se, contudo uma maioria, atualmente de 65%, de inquiridos para quem a direita deve escolher outro candidato.

Entre os simpatizantes de direita e os do partido, são mais os que querem Fillon como candidato: 59% e 67% respetivamente, em ambos os casos nove pontos percentuais acima da semana passada.Outra sondagem divulgada hoje, do instituto Ifop, revelou, segundo as intenções de voto neste momento, que a segunda volta vai ser disputada entre a candidata da extrema-direita, Marine Le Pen, com 25,5%, e o candidato independente Emmanuel Macron, 20,5%.

Fillon fica em terceiro lugar, com 18,5%.A primeira volta das eleições presidenciais de França realiza-se a 23 de abril e a segunda

  • Fillon pede desculpa por ter empregado a mulher e os filhos
    1:53

    Mundo

    O candidato da direita francesa às presidenciais pode vir a ser acusado de financiamento ilegal de campanha eleitoral e tráfico de influências. Numa conferência de imprensa, François Fillon pediu desculpa aos franceses por ter empregado a mulher e os filhos mas diz que não tem nada a esconder, reafirmando que os 830 mil euros pagos à esposa estão justificados.

  • Fillon não tem "nada a esconder"
    0:32

    Mundo

    François Fillon diz que não tem nada a esconder. O candidato do centro-direita às eleições presidenciais francesas mantém a candidatura. Isto aconteceu depois das autoridades judiciais estarem a investigar a suspeita de utilização de dinheiros públicos na contratação da mulher.

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.