sicnot

Perfil

Eleições França 2017

Sete em cada dez franceses querem que Fillon abandone a corrida à presidência

© Christian Hartmann / Reuters

Sete em cada dez (70%) franceses defendem que o candidato da direita à presidência, François Fillon, deve retirar-se da corrida, devido ao alegado desvio de fundos públicos, segundo uma sondagem divulgada esta sexta-feira.

Há uma semana, 60% dos inquiridos defendiam que o ex-primeiro-ministro devia desistir da candidatura, segundo a sondagem do instituto Odoxa para a emissora France Info.

Mesmo entre os inquiridos que dizem ser de direita, 61% afirmam que Fillon deve abandonar a corrida.

Fillon está a ser investigado depois de o semanário satírico Le Canard Enchaîné ter noticiado que, enquanto deputado, criou um emprego fictício para a mulher, Penelope Fillon, e para dois dos filhos, que lhes permitiu receber centenas de milhares de euros de fundos parlamentares.

Na segunda-feira, Fillon deu uma conferência de imprensa na qual pediu "perdão por ter cometido o erro de trabalhar com familiares, privilegiando uma colaboração de confiança", mas negou que os empregos fossem fictícios.

Na sondagem divulgada esta sexta-feira, 79% dos inquiridos - e 61% dos simpatizantes de direita - disseram não ter ficado convencidos com as explicações do candidato.

Além disso, 74% dos inquiridos tem má opinião de Fillon, mais 29 pontos percentuais que em novembro.

Se Fillon vier a decidir desistir, um em cada dois inquiridos considera que deve ser substituído na corrida por Alain Juppé, que Fillon derrotou nas primárias da direita, 15% preferem o ex-ministro François Baroin e 13% o presidente da região norte, Xavier Bertrand.

Antes do caso revelado a 26 de janeiro pelo Canard Enchaîné, François Fillon era um dos favoritos às presidenciais e as sondagens colocavam-no como provável adversário da líder da extrema-direita, Marine Le Pen, na segunda volta.

Segundo uma sondagem do instituto Ifop publicada na terça-feira, a segunda volta vai ser disputada entre Marine Le Pen e Emmanuel Macron.
As presidenciais de França estão marcadas para 23 de abril e 7 de maio.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.