sicnot

Perfil

Eleições França 2017

Ataques marcam último debate entre Le Pen e Macron

ERIC FEFERBERG / POOL

Violentos ataques marcaram esta quarta-feira à noite o último debate televisivo entre os dois candidatos à segunda volta das eleições presidenciais francesas, Marine Le Pen, da extrema-direita, e o centrista pró-europeu Emmanuel Macron, a quatro dias do escrutínio.

"O senhor Macron é o candidato da globalização selvagem, da 'uberização', da precariedade, da brutalidade social, da guerra de todos contra todos, da pilhagem económica dos nossos grandes grupos, do desmembramento da França pelos grandes interesses económicos, do comunitarismo", acusou Le Pen.

Macron respondeu-lhe à letra, dizendo: "A sua estratégia é dizer muitas mentiras".

"A senhora é herdeira de um sistema que prospera com a ira dos franceses à décadas", frisou o candidato do movimento "Em marcha", no debate seguido por milhões de telespetadores.

São quatro os grandes temas em discussão ao longo de pouco mais de duas horas, num formato em que dois jornalistas colocam as questões: economia, terrorismo, educação e Europa.

Após dez dias de uma campanha agressiva entre as duas voltas das presidenciais, Emmanuel Macron, que obteve o melhor resultado na primeira volta, é ainda apontado pelas sondagens como o vencedor a 07 de maio, com cerca de 60% das intenções de voto, mas a margem de avanço em relação a Le Pen está a diminuir.

Num escrutínio muito atentamente observado internacionalmente, os dois candidatos devem convencer os muitos eleitores indecisos a dar-lhes o seu apoio, enquanto se prevê que a taxa de abstenção possa ultrapassar os 22% no próximo domingo.

Os seus programas eleitorais estão nos antípodas: Emmanuel Macron é liberal e pró-europeu, Marine Le Pen é anti-imigração, anti-Europa e antissistema.

O primeiro agrada sobretudo aos jovens urbanos, à classe média e ao meio empresarial; a segunda seduz as classes populares, a população rural e uma fatia do eleitorado francês vítima de desemprego endémico.

"Não são apenas duas personalidades, dois projetos, mas duas conceções da França, da Europa e do mundo" que estão em confronto, comentou o Presidente francês cessante, François Hollande.

Um ritual da vida política francesa desde 1974, o debate televisivo entre duas voltas eleitorais constitui tradicionalmente um momento forte e por vezes decisivo das campanhas presidenciais.

Lusa

  • Repetir mil vezes: você só diz idiotices

    Mundo

    "Vous dites que des bêtises, Madame Le Pen". Bêtisses pode traduzir-se como idiotices, imbecilidades, parvoíces, etc. As opções de tradução são muitas, mas nenhuma é simpática. O ataque frontal de Emmanuel Macron à candidata presidencial da Frente Nacional foi surpreendente. Não só Macron não piscou o olho aos eleitores mais à esquerda, como repetiu vezes sem conta que os argumentos de Marine Le Pen eram "bêtises"

  • Le Pen à SIC: "Se falhar, peço aos franceses que escolham outro dirigente"
    5:31

    SIC Europa

    A corrida à segunda volta das Presidenciais entre Marine Le Pen e Emmanuel Macron pode ainda trazer algumas surpresas. Apesar da maioria das sondagens dar como vencedor o líder do movimento "Em Marcha" , a chefe da Frente Nacional pode ainda surpreender. Num exclusivo para portugal, Le pen garantiu à SIC que se demite caso saia derrotada da corrida ao eliseu.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.