sicnot

Perfil

Eleições França 2017

Vídeo português contra abstenção "está a ter um forte eco em França"

Um vídeo português contra a abstenção "está a ter um forte eco em França", disse à Lusa uma das responsáveis do site que publicou o filme, que desde 26 de abril já ultrapassou um milhão de visualizações.

O filme "O mundo está cheio de pessoas assim" foi "encontrado nas redes sociais em plena campanha para a segunda volta das presidenciais" pelo Culture Pub, um site francês que nasceu de um programa televisivo que durante mais de 20 anos se dedicou à análise do universo da publicidade, nomeadamente de "spots dedicados às grandes causas".

"É uma publicidade que tem um forte eco em França neste momento. Nesta última etapa antes do Eliseu, há o risco de um partido de extrema-direita com uma certa ideologia ganhar. A mensagem é clara: no spot, o senhor é homofóbico, xenófobo, tem muitas ideias simplistas, mas muito perigosas", disse à Lusa Florence Illemassene, responsável da documentação do Culture Pub.

Além de ter sido publicado diretamente no site francês, o filme foi também partilhado na página da rede social Facebook do Culture Pub com a mensagem "Este filme português calha mesmo bem! Votar ou não votar? A questão nem se devia colocar?", tendo provocado mais de 200 comentários.

"Com o que se passa hoje em dia em França, e no mundo - basta olhar para os Estados Unidos - pensámos que era importante partilhar o vídeo em França, mostrar que em Portugal tinha sido feita uma campanha contra a abstenção, que apelava ao voto. Considerámos que era uma boa forma de combater a abstenção ao mostrar que não votar é dar a voz a pessoas como o senhor do filme", acrescentou a responsável.

O filme, realizado por Gonçalo Franco, apresenta um personagem racista, xenófobo, misógino e homofóbico e termina com a frase "O mundo está cheio de pessoas assim. Sempre que te absténs, são elas a decidir por ti".

Foi criado no âmbito da primeira edição do "Festival Política", que foi dedicada à abstenção e que decorreu entre 21 e 22 de abril, no Cinema São Jorge, em Lisboa.
Florence Illemassene sublinhou que "não é a primeira vez que Portugal dá cartas em grandes campanhas", lembrando que, em 2001, um vídeo contra o racismo intitulado "Despicable" teve perto de meio milhão de visualizações.

A França vai a votos no próximo domingo, 7 de maio, na segunda volta das eleições presidenciais que vai opor Emmanuel Macron, candidato centrista do movimento 'Em Marcha!', a Marine Le Pen, da extrema-direita e representante da Frente Nacional.

Lusa

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois do tribunal ter desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17
  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • Pato em excesso de velocidade faz disparar radar numa estrada suíça
    1:31