sicnot

Perfil

Eleições França 2017

Vários meios impedidos de entrar na sede de campanha de Le Pen

Pascal Rossignol

Uma dezena de meios de comunicação denunciou este domingo não ter sido autorizada a entrar na sede de campanha da candidata presidencial de extrema-direita, Marine Le Pen, que alegou falta de espaço, segundo o diário Libération.

Jornalistas do semanário Charlie Hebdo, dos digitais Médiapart, Rue89, Buzzfeed e Les Jours, do programa Quotidien e do canal privado TF1 e de vários meios estrangeiros disseram não ter recebido a acreditação para acompanhar esta noite no Chalet du Lac, a sede de campanha de Marine Le Pen.

"Por solidariedade para com os nossos companheiros, a redação do Libération, que na altura em que escreve estas linhas não sabe se foi afetada por esta medida, decidiu não ir à noite organizada pelo partido de direita radical", avançou o jornal a meio da tarde na sua edição 'online'.

O 'Libération', cujo boicote foi também partilhado pela revista Les Inrocks, disse na sua página na internet que "essas medidas antidemocráticas e contrárias à liberdade de expressão devem parar, bem como a intimidação dos jornalistas nos encontros".

O jornal escreve também que não é a primeira vez que a Frente Nacional (FN) veta o acesso aos seus encontros e que normalmente isto acontece a "um ou dois meios, raramente mais, mas desta vez uma dezena de meios foi impedida de fazer o seu trabalho".

O Chalet du Lac tem capacidade para cerca de 1.400 pessoas, muito abaixo das 10.000 pessoas que a Esplanada du Louvre, a sede de campanha do liberal Emmanuel Macron, pode acolher.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50