sicnot

Perfil

Escândalo Renault

Escândalo Renault

Escândalo Renault

Renault chama 15 mil veículos à oficina em França

O construtor automóvel francês Renault vai chamar 15 mil veículos, antes de serem comercializados, para resolver problemas em motores a gasóleo, relacionados com as normas antipoluição, anunciou hoje a ministra da Ecologia, Ségolène Royal.

© Christian Hartmann / Reuters

A Renault "comprometeu-se a chamar 15 mil veículos para verificar e resolver os problemas existentes, para que o sistema de filtragem funcione", em todas as condições de temperatura, declarou Royal à rádio RTL.

O fabricante prometeu na segunda-feira apresentar um "plano técnico" nas próximas semanas para cortar as emissões poluentes dos veículos.

Na quinta-feira passada, o Governo francês anunciou que os testes efetuados em França, na sequência do escândalo da manipulação de emissões que envolveu a Volkswagen, mostraram que na Renault foram "ultrapassadas as normas" para o dióxido de carbono e óxido de azoto.

Os mesmos testes não indicaram existir qualquer dispositivo para manipular os resultados, como aconteceu no construtor automóvel alemão Volkswagen.

Lusa

  • Grafitter morre após cair do telhado da estação de Sete Rios
    0:57

    País

    Um grafitter morreu no sábado na estação intermodal de Sete Rios, em Lisboa. O jovem caiu de uma altura de seis metros, enquanto fazia um grafitti. As autoridades terão sido alertadas por um amigo, mas quando o INEM chegou o jovem de 21 anos já estava morto.

  • Incêndio em empresa na Anadia não teve origem criminosa
    2:01

    País

    O incêndio de sábado numa fábrica de capacetes em Anadia causou estragos de perto de um milhão de euros. A empresa vai retomar a laboração já esta segunda-feira, mas só daqui a um mês é que deverá estar a trabalhar em pleno. As autoridades afastaram a possibilidade de origem criminosa, apesar das peritagens ainda não terem revelado a causa do incêndio.

  • Vigília à porta da Autoeuropa contra novo horário
    1:13

    País

    Alguns trabalhadores da Autoeuropa fizeram este domingo uma vigília junto à fábrica, contra a imposição do novo horário de trabalho, que começa em fevereiro. Os trabalhadores estão contra essa obrigatoriedade e dizem que é ilegal porque não cumpre as 35 horas de descanso entre turnos.

  • Catarina Martins e os "fantasmas da direita passada"
    1:14

    País

    Catarina Martins diz que os fantasmas da direita estão de volta e referiu-se aos comentários feitos esta semana por Paulo Portas e Cavaco Silva. Este domingo, em Fafe, a líder do Bloco de Esquerda disse ainda que está preocupada com o esquecimento do interior e a necessidade de travar o eucalipto.