sicnot

Perfil

Escândalo Renault

Escândalo Renault

Escândalo Renault

Renault chama 15 mil veículos à oficina em França

O construtor automóvel francês Renault vai chamar 15 mil veículos, antes de serem comercializados, para resolver problemas em motores a gasóleo, relacionados com as normas antipoluição, anunciou hoje a ministra da Ecologia, Ségolène Royal.

© Christian Hartmann / Reuters

A Renault "comprometeu-se a chamar 15 mil veículos para verificar e resolver os problemas existentes, para que o sistema de filtragem funcione", em todas as condições de temperatura, declarou Royal à rádio RTL.

O fabricante prometeu na segunda-feira apresentar um "plano técnico" nas próximas semanas para cortar as emissões poluentes dos veículos.

Na quinta-feira passada, o Governo francês anunciou que os testes efetuados em França, na sequência do escândalo da manipulação de emissões que envolveu a Volkswagen, mostraram que na Renault foram "ultrapassadas as normas" para o dióxido de carbono e óxido de azoto.

Os mesmos testes não indicaram existir qualquer dispositivo para manipular os resultados, como aconteceu no construtor automóvel alemão Volkswagen.

Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC