sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Emissões de CO2 dos automóveis são 40% superiores aos números oficiais

O valor das emissões de dióxido de carbono (CO2) dos carros matriculados na Europa em 2014 é, em média, 40% mais alto que o que os construtores automóveis afirmam, revela um relatório de uma ONG.

© Mal Langsdon / Reuters

O intervalo entre a poluição real e os resultados obtidos em laboratório aumentou mais de 30% desde 2001, afirma o International Council on Clean Transportation (ICCT) [Conselho Internacional para os Transportes Limpos].

O relatório surge em pleno escândalo da Volkswagen que é acusada de ter equipado alguns motores com equipamento que manipula os níveis de emissões de gases poluentes. Mas não é só o fabricante alemão que está aqui em causa. Alguns carros, revela o ICCT, da Mercedes, da BMW e da Peugeot estão a exceder o limite de emissões em 50%.

"O escândalo da Volkswagen é só a ponta do iceberg", afirma Greg Archer, consultor da ONG Transport & Energy, ao site phys.org.

  • "Nos últimos 14 anos alertámos que este dia iria voltar"
    3:50

    País

    O vice-presidente da Câmara de Mação diz que se sente humilhado com o recurso a meios espanhóis para o combate ao fogo no concelho. Em entrevista à SIC, António Louro, que é também engenheiro florestal, critica os vários governos e afirma que nada disto teria acontecido se tivessem ouvido os apelos desesperados da autarquia depois do incêndio que, em 2003, destruiu grande parte do concelho.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • André Ventura rejeita acusações de xenofobia
    1:27

    País

    O candidato do PSD à Câmara de Loures diz que tocou num tema que as pessoas queriam discutir. Entrevistado na SIC Notícias, André Ventura insiste que as declarações que fez sobre a comunidade cigana não são xenófobas ou racistas.

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.