sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Volkswagen vai recolher 120.000 carros na Coreia do Sul devido a escândalo das emissões

O fabricante alemão Volkswagen prevê recolher 120.000 carros a diesel na Coreia do Sul, na sequência do escândalo da manipulação das emissões poluentes, anunciaram hoje as autoridades sul-coreanas.

© Kim Kyung Hoon / Reuters


A Volkswagen enviou uma carta ao Ministério do Ambiente sul-coreano informando-o das suas intenções, indicou o governo da Coreia do Sul.

"Ela prevê recolher 120.000 viaturas", informou o Ministério do Ambiente sul-coreano, em comunicado.

O Ministério do Ambiente anunciou também o início de testes em modelos vendidos na Coreia do Sul, incluindo o Golf, Audi A3, Jetta e Beetle. Inicialmente realizados em laboratório, os testes vão continuar na estrada a partir de domingo.

Procuradores alemães anunciaram na quarta-feira uma investigação criminal ao antigo presidente executivo do construtor automóvel, Martin Winterkorn, que se demitiu em consequência do escândalo, enquanto autoridades de outros países abriram investigações ao escândalo.

O governo alemão deu à empresa um prazo, até 07 de outubro, para explicar como tenciona resolver o escândalo, que já provocou uma descida do valor bolsista da Volkswagen em 29 mil milhões de euros (38%), em 10 dias.

O distribuidor para Portugal das marcas do Grupo Volkswagen, a SIVA, revelou na terça-feira que existem 94.400 veículos equipados com motores Euro 5 no país envolvidos no âmbito do escândalo relacionado com a manipulação das emissões de gases poluentes.

Lusa

  • Governo cria grupo de trabalho para acompanhar fraude da Volkswagen
    0:40

    Escândalo Volkswagen

    O ministro da Economia deu a conhecer que este grupo envolve os secretários de Estado do Investimento, Transportes e Ambiente. Pires de Lima, em conferência de imprensa, voltou a dizer que a Autoeuropa não produziu carros com o software em causa, que permite enganar as emissões de gases. Deixou ainda em aberto a possibilidade do governo penalizar as marcas, já que as informações em termos de poluição foram falseadas.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.