sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Volkswagen vai recolher 120.000 carros na Coreia do Sul devido a escândalo das emissões

O fabricante alemão Volkswagen prevê recolher 120.000 carros a diesel na Coreia do Sul, na sequência do escândalo da manipulação das emissões poluentes, anunciaram hoje as autoridades sul-coreanas.

© Kim Kyung Hoon / Reuters


A Volkswagen enviou uma carta ao Ministério do Ambiente sul-coreano informando-o das suas intenções, indicou o governo da Coreia do Sul.

"Ela prevê recolher 120.000 viaturas", informou o Ministério do Ambiente sul-coreano, em comunicado.

O Ministério do Ambiente anunciou também o início de testes em modelos vendidos na Coreia do Sul, incluindo o Golf, Audi A3, Jetta e Beetle. Inicialmente realizados em laboratório, os testes vão continuar na estrada a partir de domingo.

Procuradores alemães anunciaram na quarta-feira uma investigação criminal ao antigo presidente executivo do construtor automóvel, Martin Winterkorn, que se demitiu em consequência do escândalo, enquanto autoridades de outros países abriram investigações ao escândalo.

O governo alemão deu à empresa um prazo, até 07 de outubro, para explicar como tenciona resolver o escândalo, que já provocou uma descida do valor bolsista da Volkswagen em 29 mil milhões de euros (38%), em 10 dias.

O distribuidor para Portugal das marcas do Grupo Volkswagen, a SIVA, revelou na terça-feira que existem 94.400 veículos equipados com motores Euro 5 no país envolvidos no âmbito do escândalo relacionado com a manipulação das emissões de gases poluentes.

Lusa

  • Governo cria grupo de trabalho para acompanhar fraude da Volkswagen
    0:40

    Escândalo Volkswagen

    O ministro da Economia deu a conhecer que este grupo envolve os secretários de Estado do Investimento, Transportes e Ambiente. Pires de Lima, em conferência de imprensa, voltou a dizer que a Autoeuropa não produziu carros com o software em causa, que permite enganar as emissões de gases. Deixou ainda em aberto a possibilidade do governo penalizar as marcas, já que as informações em termos de poluição foram falseadas.

  • Tribunal de Contas apresentou reservas em relação ao SIRESP em 2006

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O Tribunal de Contas avisou em 2006 que o Estado poderia sair prejudicado nos moldes em que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) estava a ser desenhado. De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, terão sido a ausência de um concurso público, a falta de tempo para a apresentação de propostas e mexidas no caderno de encargos a motivar as reservas do tribunal.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • Bispo do Mali terá contas na Suíça com 12 M€
    1:49

    Mundo

    Há uma polémica a envolver um novo cardeal da Igreja católica. Um bispo do Mali, escolhido pelo Papa para o colégio cardinalício, está a ser relacionado com contas na Suíça onde estarão depositados milhões de euros. A cerimónia que o fará cardeal está marcada para hoje.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.