sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Autoeuropa produziu carros com motores fraudulentos

A SIVA, representante da Volkswagen, Audi e Skoda em Portugal, admitiu que a Autoeuropa produziu carros com dispositivos que falseiam os resultados das emissões de gases poluentes. O Jornal de Negócios noticia hoje que um proprietário de um automóvel Volkswagen Sciroco, de 2009, produzido na fábrica de Palmela, fez um teste na plataforma disponibilizada pela marca alemã que confirmou ser um dos carros com 'software' que manipula os níveis de emissões poluentes.

(SIC/ Arquivo)

A administração da Autoeuropa não respondeu às questões do Jornal de Negócios mas, quando confrontada com o teste, a SIVA esclareceu: "tanto quanto sabemos da Volkswagen AG, existem outros modelos afetados, os modelos da Volkswagen que sugerem [Eos, Scirocco e Sharan]".

O escândalo relacionado com a manipulação das emissões de gases poluentes pela Volkswagen tem proporções mundiais e em Portugal existem 94.400 veículos afetados.

Desde terça-feira que os clientes portugueses da Volkswagen podem saber se o seu carro vai ou não ser chamado às oficinas da marca, após a SIVA ter colocado à disposição dos proprietários uma aplicação na sua página de internet que, através do número de série do quadro, diz se o automóvel está ou não afetado.

"Lamentamos informá-lo de que o motor Tipo EA 189 do seu veículo com o número de chassis (...) que submeteu está afetado pelo 'software' que causa discrepâncias nos valores de óxidos de azoto durante os ensaios no dinamómetro", leu o proprietário ouvido pelo Jornal de Negócios.

O modelo em questão é produzido em exclusivo pela fábrica da Autoeuropa.

Contactado pelo diário, o representante da comissão de trabalhadores da fábrica de Palmela, António Chora, mostrou-se surpreendido com os resultados do teste.

O responsável adiantou ao Negócios que os motores instalados nos automóveis produzidos na Autoeuropa vinham da Alemanha, sede do grupo, frisando que "nem ao mais alto nível da Volkswagen se sabia da situação", descartando conhecimentos e responsabilidades dos trabalhadores e administração de Palmela neste caso.

Segundo o responsável pela comissão de trabalhadores, a Autoeuropa é "apenas mais uma" das unidades industriais envolvida, sem querer, no esquema.

Chora previu que "nenhuma fábrica que tenha montado motores EA189 vai ficar à margem".

O grupo Volkswagen detém em Portugal a fábrica da Autoeuropa, onde são produzidos os modelos Volkswagen Eos, Scirocco e Sharan e Seat Alhambra.

Em março de 2014, o grupo anunciou um investimento de 670 milhões de euros e a criação de mais de 500 postos de trabalho para o período entre 2014 e 2019.

O investimento de 670 milhões de euros prevê a vinda de novos modelos para a fábrica após a descontinuação do Volkswagen Eos e permite dobrar a produção e a capacidade de exportação da empresa.

A 18 de setembro, a Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos acusou a Volkswagen de falsear o desempenho dos motores em termos de emissões de gases poluentes através de um 'software' incorporado no veículo.

Dois dias depois, a Volkswagen reconheceu ter falseado os dados e anunciou que 11 milhões de veículos do grupo em todo o mundo têm equipamento que permite alterar o desempenho dos motores em termos de emissões para a atmosfera, um escândalo que levou à demissão do presidente executivo do grupo, Martin Winterkorn, substituído por Matthias Mueller.

Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.