sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Escândalo Volkswagen é "embaraçoso e vergonhoso" para os alemães

Nas ruas de Berlim, parece generalizado o sentimento de vergonha dos alemães em relação ao escândalo de manipulação de emissões poluentes pelo grupo Volkswagen e muitos temem consequências negativas graves na economia do país.

Z1031/_Jan Woitas

"Eu acho que é embaraçoso e vergonhoso mas se a Volkswagen mostrar de forma transparente o que vai acontecer com os carros afetados, talvez a crise possa ser resolvida", disse Angelika Meissner, 37 anos, à agência Lusa.

Já Michael Kerber, 46 anos, acredita que a qualidade associada aos veículos Volkswagen não vai mudar mas receia que "as consequências na economia alemã sejam muito altas devido às penalidades que o grupo tem de pagar no mercado dos Estados Unidos". Para este alemão, a empresa "pode ir à falência".

Para David Jiménez van Auken, "provavelmente todos os produtores de carros estão a falsear este género de dados".

"A verdade veio à tona agora por razões políticas que o cidadão comum desconhece e foi usado como pedra de arremesso", afirma este alemão de 27 anos, que considera que a indústria alemã pode ser ultrapassada por países como a Polónia e que "a Alemanha tem de lutar para voltar à imagem de qualidade produtiva que tinha nos 80 e 90".

Por outro lado, Tina Kirchner, 29 anos, disse que o escândalo Volkswagen pode ser "uma oportunidade de crescimento para as restantes marcas" e não acredita que a reputação da indústria alemã seja afetada de forma negativa, já que "a má publicidade vai ficar centrada na Volkswagen".

Christian, 25 anos, afirmou que a marca alemã "não fez nada que outra grande companhia não fizesse, são as dinâmicas do mundo" atual, e acrescentou que "o simbolismo da Volkswagen como carro para a classe trabalhadora não vai mudar".

O escândalo Volkswagen estalou a 18 de setembro quando a Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos acusou a Volkswagen de manipular o desempenho dos motores dos seus carros no que diz respeito à emissões de gases poluentes através de um 'software' incorporado no veículo.

O grupo reconheceu ter falseado os dados e anunciou que 11 milhões de veículos Volkswagen em todo o mundo têm equipamento que permite alterar o desempenho dos motores. A crise já levou à demissão do presidente executivo do grupo, Martin Winterkorn.

Lusa

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.