sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Volkswagen chama à revisão quase 2 mil carros na China

A Volkswagen anunciou hoje a recolha de quase 2.000 veículos na China -- o maior mercado de automóveis do mundo e onde é a marca estrangeira de topo -- no âmbito do escândalo da manipulação dos motores diesel.

© David Gray / Reuters

O grupo Volkswagen entregou 3,67 milhões de veículos na China no ano passado, mas a recolha afeta apenas os a diesel importados para o país: 1.946 Tiguan compact SUV e quatro Passat B6, segundo um comunicado da empresa citado pela agência AFP.

O fabricante automóvel alemão foi acusado, em meados de setembro, de falsear o desempenho dos motores em termos de emissões de gases poluentes através de um 'software' incorporado no veículo.

A Volkswagen reconheceu ter falseado os dados e anunciou que 11 milhões de veículos do grupo em todo o mundo têm equipamento que permite alterar o desempenho dos motores em termos de emissões para a atmosfera, um escândalo que levou à demissão do presidente executivo do grupo, Martin Winterkorn, substituído por Matthias Mueller.

O fabricante alemão reiterou hoje as informações constantes de comunicados anteriores emitidos pelas suas principais 'joint-venture' na China de que nenhum dos veículos que produziram localmente foram afetados.

Lusa

  • Presidente visita zonas afetadas pelos fogos
    2:00

    País

    Numa visita inesperada, o Presidente da República esteve esta manhã em Vouzela, um dos concelhos mais atingidos pelos incêndios. Marcelo Rebelo de Sousa vai estar nos próximos dias no distrito de Viseu.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.