sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Volkswagen chama à revisão quase 2 mil carros na China

A Volkswagen anunciou hoje a recolha de quase 2.000 veículos na China -- o maior mercado de automóveis do mundo e onde é a marca estrangeira de topo -- no âmbito do escândalo da manipulação dos motores diesel.

© David Gray / Reuters

O grupo Volkswagen entregou 3,67 milhões de veículos na China no ano passado, mas a recolha afeta apenas os a diesel importados para o país: 1.946 Tiguan compact SUV e quatro Passat B6, segundo um comunicado da empresa citado pela agência AFP.

O fabricante automóvel alemão foi acusado, em meados de setembro, de falsear o desempenho dos motores em termos de emissões de gases poluentes através de um 'software' incorporado no veículo.

A Volkswagen reconheceu ter falseado os dados e anunciou que 11 milhões de veículos do grupo em todo o mundo têm equipamento que permite alterar o desempenho dos motores em termos de emissões para a atmosfera, um escândalo que levou à demissão do presidente executivo do grupo, Martin Winterkorn, substituído por Matthias Mueller.

O fabricante alemão reiterou hoje as informações constantes de comunicados anteriores emitidos pelas suas principais 'joint-venture' na China de que nenhum dos veículos que produziram localmente foram afetados.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.