sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Volkswagen suspende construção de campo de treinos do Wolfsburgo

A fabricante de carros Volkswagen anunciou hoje a suspensão da construção de um centro de treinos para a academia do Wolfsburgo, clube alemão que milita na principal divisão de futebol na Alemanha.

Jogadores do Wolfsburgo.

Jogadores do Wolfsburgo.

© Reuters Staff / Reuters

Em declarações à rádio alemã NDR, o director-geral do clube, Klaus Allofs, revelou "compreender" a decisão porque "este não é o momento para investir" e que é necessário usar o "bom senso".

Os 'lobos' tinham planeado construir um centro de treinos para os jovens jogadores da academia, num terreno de 32 hectares com início previsto das obras para 2017.

Ainda hoje o grupo Volkswagen, envolvido na manipulação dos testes de emissões poluentes, anunciou que vai reduzir em mil milhões de euros por ano os investimentos previstos para a marca.

No dia 07 de outubro, Allofs afirmou que não havia motivos para preocupações, depois de o novo presidente executivo da Volkswagen, Matthias Müller, ter anunciado uma revisão de contas onde iam ser "cancelados ou anulados os custos que não eram necessários".

A cidade de Wolfsburgo foi fundada por operários da fabricante germânica, em 1938, tendo sido criado o clube em 1945, que passou a ser patrocinado até hoje pela Volkswagen, detentora de 95% dos do clube.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.