sicnot

Perfil

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volskwagen

Escândalo Volkswagen

Autoridades europeias aprovam soluções técnicas da Volkswagen

O fabricante de automóveis Volkswagen anunciou hoje que as autoridades europeias "avaliaram positivamente" as soluções técnicas para os clientes na Europa, perante o escândalo das emissões poluentes.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Sergio Perez / Reuters

O presidente executivo do grupo Volkswagen, Matthias Müller, disse em conferência de imprensa na sede da companhia em Wolfsburgo, no norte da Alemanha, que "se vão começar a implementar as soluções a partir de janeiro de 2016"Autoridades europeias aprovam soluções técnicas da Volkswagen

Os primeiros resultados das investigações sobre a manipulação das emissões de óxidos de nitrogénio mostram que houve uma conduta errónea e falhas pessoais de alguns trabalhadores.

Mesmo assim, a Volkswagen reconhece que houve deficiências em alguns processos, o que favoreceu a falta de ética laboral de algumas pessoas, por exemplo, nos testes e processos de certificação que afetam os dispositivos de controle do motor, o 'software' que manipulou as emissões.

"O principal problema é que as responsabilidades não estavam suficientemente claras", segundo a Volkswagen.

A auditoria interna também encontrou deficiências em algumas áreas da infraestrutura de tecnologia de informação, que agora o grupo alemão promete solucionar.

"A Volkswagen vai introduzir sistemas de tecnológicos de informação que permitam observar processos individuais com maior eficiência e transparência", refere a empresa alemã.

O presidente do Conselho de Supervisão do grupo Volkswagen, Hans Dieter Pötsch, destacou a crise de confiança que foi gerada pelo escândalo de manipulação das emissões de gases poluentes, sobretudo em veículos a gasóleo.

"O grupo Volkswagen está completamente funcional em todos os sentidos, inclusivamente, nestes dias turbulentos. Depende de nós, como e quando ultrapassaremos os desafios atuais", disse Pötsch, citado pela EFE.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.