sicnot

Perfil

Escândalo Dieselgate

Escândalo Dieselgate

Escândalo Volkswagen

Engenheiro da Volkswagen acusado nos Estados Unidos da América

Um engenheiro da Volkswagen, James Liang, foi acusado esta sexta-feira nos Estados Unidos de estar diretamente envolvido no desenvolvimento de um dispositivo que permitiu ao grupo alemão contornar as leis antipoluição norte-americanas, indicou o Ministério da Justiça.

James Liang declarou-se culpado perante um juiz do tribunal de Detroit (Michigan) para evitar julgamento. Em troca vai cooperar com as autoridades que estão a fazer a investigação do caso Volkswagen.

Arrisca-se a uma pena máxima de cinco anos e a uma multa que pode ir até 250 mil dólares, mas a decisão de reconhecer a culpa pode atenuar a pena.

Liang trabalhou de 1983 a 2008 em Wolfsburg na Alemanha, onde se encontra a sede da Volkswagen (VW), de acordo com documentos judiciais. Trata-se da primeira pessoa acusada no âmbito deste caso.

Depois foi transferido para os Estados Unidos, nomeadamente para a Califórnia, para integrar a equipa da VW destinada a preparar e testar os veículos diesel que o grupo queria comercializar em território norte-americano.

Foi essa equipa que deu garantias de conformidade dos referidos veículos com as normas norte-americanas sobre poluição, segundo os documentos.

"Quando trabalhava no avanço do diesel (James) Liang fez parte de uma equipa de engenheiros que desenvolveu o motor +EA 189+ concebido para estar de acordo com as novas regras draconianas norte-americanas em termos de emissões" para estes veículos, segundo a acusação.

O objetivo "desta conspiração era para Liang e outros conspiradores enriquecer e fazer enriquecer ilegalmente a VW", apontam as autoridades dos Estados Unidos.

Em setembro de 2015, a VW admitiu ter manipulado cerca de 11 milhões de veículos em todo o mundo para os fazer passar por menos poluentes do que na realidade são.

Lusa

  • Marcar cedo e resistir (ou como Portugal venceu Marrocos)

    Mundial 2018 / Portugal

    A seleção nacional alcançou hoje a primeira vitória no Mundial 2018, frente a Marrocos, em Moscovo. Cristiano Ronaldo (outra vez) marcou logo aos quatro minutos. Depois, Portugal pouco mais fez senão aguentar as investidas dos marroquinos, que ficam desde já afastados dos oitavos de final.

  • Fernando Santos dá um puxão de orelhas à equipa
    1:57
  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • Ronaldo, o motivador
    3:23
  • Os "memes" do desempenho de Cristiano Ronaldo frente a Marrocos
    1:25
  • Cristiano Ronaldo: o melhor do jogo, o melhor do Mundial, o melhor do mundo

    Mundial 2018 / Portugal

    Apesar da prestação de Rui Patrício na defesa da baliza lusa, Cristiano Ronaldo foi eleito o homem do jogo, pela segunda vez consecutiva, depois de marcar o golo que deu a vitória a Portugal frente a Marrocos. O capitão português ofereceu à equipa os três pontos essenciais para a eventual passagem aos oitavos de final. Mas Ronaldo não fica por aqui. Contas feitas, CR7 é o melhor marcador do Mundial (4 golos em 2 jogos) e já marcou 85 golos por Portugal, feito nunca antes alcançado nem por Eusébio nem por Pauleta. No auge dos 33 anos, há quem diga que Ronaldo "é como o vinho do Porto". Será que ainda vai chegar à marca dos 100? Parece que, para o CR7, nada é impossível.

  • Parecia que Rui Patrício tinha cola nas luvas
    5:40
  • Os momentos descontraídos dos jogadores que estão no Mundial
    1:54
  • Selecionador de Marrocos queixa-se da arbitragem
    1:41
  • Georgina Rodriguez assistiu ao jogo de Portugal e acenou a Ronaldo
    1:05
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49