sicnot

Perfil

Euro 2016

Euro 2016

Euro 2016

Euro 2016 sem árbitros portugueses

A UEFA anunciou hoje os 18 árbitros que vão estar presentes no Campeonato da Europa de futebol de 2016, em França, numa lista sem qualquer árbitro português.

© Benoit Tessier / Reuters

Pedro Proença foi o último dos cinco árbitros portugueses que marcaram presença em fases finais, tendo dirigido a final do Euro 2012, entre Espanha e Itália.

Antes do atual presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) estiveram presentes em fases finais Vítor Pereira (2000), Rosa Santos (1988), António Garrido (1980) e Lucílio Baptista (2004).

Os 18 árbitros escolhidos para os 51 jogos do Euro 2016, que vai ser disputado entre 10 de junho e 10 de julho, vão liderar equipas com dois assistentes e dois assistentes de baliza, que, segundo a UEFA, serão provenientes, na sua maioria, dos países dos chefes de equipa.

As equipas de arbitragem completas vão ser anunciadas em fevereiro de 2016, depois de um curso de formação para os árbitros assistentes, entre 26 e 28 de janeiro, no Chipre.

Depois, já com as escolhas feitas, a UEFA promove o curso anual para árbitros de elite, entre 01 e 05 de fevereiro, e a formação preparatória para a competição, já em França, entre 18 e 22 de abril. As equipas de arbitragem têm chegada a solo gaulês prevista para 06 de junho.

A seleção portuguesa vai disputar o grupo F do Euro 2016, no qual vai defrontar Islândia, Áustria e Hungria.

Os 18 árbitros selecionados para o Euro 2016:

  • Björn Kuipers (Holanda)
  • Carlos Velasco Carballo (Espanha)
  • Clément Turpin (França)
  • Cüneyt Çakir (Turquia)
  • Damir Skomina (Eslovénia)
  • Felix Brych (Alemanha)
  • Jonas Eriksson (Suécia)
  • Ovidiu Hategan (Roménia)
  • Pavel Královec (Republica Checa)
  • Mark Clattenburg (Inglaterra)
  • Martin Atkinson (Inglaterra)
  • Milorad Mazic (Sérvia)
  • Nicola Rizzoli (Itália)
  • Sergey Karasev (Rússia)
  • Svein Moen (Noruega)
  • Szymon Marciniak (Polónia)
  • Viktor Kassai (Hungria)
  • William Collum (Escócia)

Lusa

  • Descida da TSU inconstitucional?
    2:37

    TSU

    Especialistas ouvidos pela SIC põem em causa a constitucionalidade da descida da Taxa Social Única dos patrões, como contrapartida pelo aumento do salário mínimo. Como se trata de um imposto pago pelas empresas, só o Parlamento pode decidir uma alteração nas taxas. Neste caso, o Governo decidiu sozinho.

  • Autocarro com seguranças atacado em Braga
    0:42

    Desporto

    Dois autocarros que transportavam elementos de uma empresa de segurança foram atingidos por tiros e pedras depois do jogo entre o Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães. O ataque deu-se a poucos quilómetros do Estádio Municipal de Braga. A PSP e a PJ estiveram no local a recolher provas.