sicnot

Perfil

Euro 2016

Euro 2016

Euro 2016

Portugal defronta a Bélgica num particular marcado pelos atentados de Bruxelas

A seleção portuguesa de futebol, com todos os jogadores disponíveis, defronta hoje a Bélgica, em Leiria, num particular que serve de preparação para o Euro2016 e que ficou marcado pelos recentes atentados terroristas em Bruxelas.

ANT\303\223NIO COTRIM

O encontro estava inicialmente marcado para capital belga, mas acabou por ser transferido para o Estádio Municipal de Leiria devido aos atentados da semana passada, reivindicados pelo Daesh e que causaram mais de três dezenas de mortos.

Será a primeira vez que a seleção belga vai atuar depois dos incidentes de Bruxelas, num jogo em que é esperado um reforço na presença das forças de segurança e no qual personalidades como o Presidente de República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o Primeiro-Ministro, António Costa, vão estar presentes.

Depois do desaire com a Bulgária (1-0), na última sexta-feira, Portugal volta a ter outro teste para a fase final do Europeu, desta vez frente ao atual líder do ranking mundial.

Ricardo Carvalho, que falhou o jogo com búlgaros devido a uma gripe, já está recuperado e poderá ser utilizado, assim como o médio André Gomes, que apresentou alguns problemas físicos na última semana.

Do lado da Bélgica, Eden Hazard é a grande baixa na equipa do técnico Marc Wilmots, assim como Vincent Kompany, Kevin de Bruyne e Jan Vertonghen.

Mesmo assim, Portugal vai ter pela frente jogadores como o guarda-redes Courtois, o médio Axel Witsel (ex-Benfica) e o avançado Romelu Lukaku.

O Portugal-Bélgica está agendado para as 19:45 e terá arbitragem do suíço Stephan Klossner.

No Campeonato da Europa, que vai decorrer de 10 de junho a 10 de julho em França, Portugal vai disputar o grupo F com Áustria, Islândia e Hungria.

Com Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.