sicnot

Perfil

Euro 2016

Euro 2016

Euro 2016

"Os adeptos podem deslocar-se a França sem medo", assegura responsável do Euro 2016

O diretor-executivo do Campeonato da Europa de futebol de 2016, Martin Kallen, motivou hoje os adeptos a deslocarem-se "sem medo" a França, insistindo que não haverá jogos disputados à porta fechada.

Martin Kallen, diretor-executivo do Campeonato da Europa de futebol de 2016.

Martin Kallen, diretor-executivo do Campeonato da Europa de futebol de 2016.

© Kacper Pempel / Reuters

Em entrevista à agência EFE, o responsável de operações da UEFA, que também foi diretor executivo do Euro2004, em Portugal, garantiu que a segurança "é uma prioridade para a organização e para a UEFA".

"A segurança no Euro 2016 é a maior prioridade da UEFA, organização e autoridades francesas. Há três anos que todos estão a trabalhar para garantir um torneio seguro, para que o grande foco seja uma celebração popular do futebol. Os adeptos podem deslocar-se a França sem medo", explicou Martin Kallen.

Neste sentido, o dirigente insistiu que não há planos para que alguns jogos decorram à porta fechada: "Todos serão abertos ao público."

Martin Kallen também garantiu que os atentados em Paris e Bruxelas não motivaram devolução de bilhetes, embora não tenha excluído a hipótese de alguns adeptos estejam ainda a ponderar se viajam para território francês.

"Até ao momento, não houve devolução de bilhetes, mas não pode excluir-se a hipótese de algumas pessoas não viajarem para França, apesar de os níveis de segurança serem extremamente altos. Continuamos convencidos que tudo decorrerá normalmente", sublinhou o responsável, que também coordenou o Europeu de 2008, cuja organização foi partilhada por Áustria e Suíça.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.