sicnot

Perfil

Euro 2016

Euro 2016

Euro 2016

Bruno Alves e Nani integram hoje a seleção nacional

Bruno Alves e Nani devem integrar hoje os trabalhos da seleção portuguesa de futebol, que continua a preparar o Euro 2016 com mais um treino na Cidade do Futebol, um dia depois do triunfo (3-0) com a Noruega.

© Rafael Marchante / Reuters

Os dois jogadores do Fenerbahçe, que cumpriram uns dias de descanso depois da final da Taça da Turquia, são esperados em Oeiras e deverão fazer já parte do apronto que está agendado para as 18:00. Os primeiros 15 minutos da sessão serão abertos à comunicação social.

Com a chegada de Nani e Bruno Alves, o selecionador Fernando Santos vai passar a contar com 21 dos 23 convocados para a fase final do Europeu, que arranca a 10 de junho, em França.

Ficam a faltar Cristiano Ronaldo e Pepe, que no sábado venceram a Liga dos Campeões com o Real Madrid e só deverão juntar-se à comitiva lusa na próxima sexta-feira.

Um dia antes, na quinta-feira, Portugal defronta a Inglaterra, no Estádio de Wembley, em Londres, no segundo teste para o Europeu.

No primeiro, no Estádio do Dragão, no Porto, a seleção nacional bateu domingo a Noruega com golos de Ricardo Quaresma (13 minutos), Raphael Guerreiro (65) e Éder (70).

Ainda antes de viajar para França, Portugal defronta a Estónia, a 8 de junho, no Estádio da Luz.

No Euro 2016, a seleção nacional vai disputar o Grupo F com Islândia, Áustria e Hungria.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.