sicnot

Perfil

Euro 2016

Euro 2016

Euro 2016

Benzema diz ter sido excluído da França por cedências a partido racista

O avançado Karim Benzema acusou o selecionador de futebol de França, Didier Deschamps, de ter cedido à pressão de um partido político racista para não o convocar para o Euro2016, que começa a 10 de junho.

Reuters

Reuters

© Juan Medina / Reuters

Em entrevista ao diário desportivo espanhol Marca, o colega de Cristiano Ronaldo no Real Madrid não acredita que ficou fora da lista dos eleitos de Deschamps por estar envolvido num processo judicial de chantagem ao seu colega na seleção Mathieu Valbuena.

"Legalmente, sou inocente até provarem que sou culpado. Deviam ter esperado que o sistema judicial tomasse as suas decisões", disse ao jornal o melhor marcador em atividade dos 'bleus' (27 golos).

Benzema, de origem argelina, considera que o selecionador de França o excluiu da lista de convocados, tal como Hatem Ben Arfa, também de origem magrebina, por ter cedido "à pressão de um partido politico racista", em referência ao partido de extrema-direita Frente Nacional.

"Não sei se esta decisão foi exclusiva de Didier Deschamps", insistiu Benzema.

A França é a anfitriã do Campeonato da Europa, que se disputa entre 10 de junho e 10 de julho.


Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.