sicnot

Perfil

Eutanásia

Eutanásia

Eutanásia

Nove casos ainda sob investigação por crimes relacionados com morte assistida desde 2015

© Philippe Wojazer / Reuters

O Ministério Público tem em curso, desde 2015, nove processos por crimes associados à morte assistida, tendo arquivado 77 dos 86 casos abertos até ao fim de 2016, segundo dados da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Em Portugal, a morte assistida não está tipificada como crime, com esse nome, mas a sua prática pode ser punida por três artigos do Código Penal - homicídio privilegiado (artigo 133.º), homicídio a pedido da vítima (artigo 134.º) e crime de incitamento ou auxílio ao suicídio (artigo 135.º).

As penas podem ser de um a cinco anos de prisão, no caso do homicídio privilegiado e incitamento ou auxílio ao suicídio e até três anos o homicídio a pedido da vítima.

Em 2015 e 2016, foram abertos 86 processos, mas a esmagadora maioria deles, perto de 90% (77 processos), foi arquivada, de acordo com informação prestada à agência Lusa pela PGR.

Em 2015, foram registados dois inquéritos por homicídio privilegiado e um foi arquivado, quatro inquéritos por homicídio a pedido da vítima, dos quais dois foram arquivados.

O crime de incitamento ou ajuda ao suicídio esteve na base de 34 inquéritos registados em 2015, tendo sido arquivados 31.

Em 2016, registou-se um inquérito por homicídio privilegiado, seis inquéritos por homicídio a pedido da vítima, dos quais quatro foram arquivados.

Mais uma vez, o crime de incitamento ou ajuda ao suicídio voltou a estar na base de 39 inquéritos, tendo sido arquivados 38.

A Assembleia da República deverá discutir o tema da morte assistida ainda este ano, dado o Bloco de Esquerda, "Os Verdes" e PAN (Pessoas-Animais Natureza) já anunciaram a intenção de apresentar projetos de lei.

O Bloco será o primeiro a apresentar um anteprojeto de lei na próxima quarta-feira, 15 de fevereiro.

Lusa

  • Bloco de Esquerda apresenta anteprojeto de lei sobre morte assistida
    1:41

    País

    O Bloco de Esquerda entrega na próxima semana um anteprojeto de lei sobre a morte assistida. O anúncio foi feito esta manhã por João Semedo, ex-deputado e dirigente bloquista e um dos convidados para o debate, no Parlamento, organizado pelo PSD "Eutanásia/Suicídio Assistido: Dúvidas éticas, médicas e jurídicas".

  • Passos Coelho abriu colóquio sobre Eutanásia na AR
    0:58

    País

    PSD promoveu esta manhã um colóquio sobre eutanásia que juntou médicos constitucionalistas e peticionários contra e a favor da despenalização da morte medicamente assistida. O discurso de abertura coube ao Presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, que começou por dizer que esta é uma questão de consciência que levanta dúvidas mas que é preciso tomar.

  • Muitos médicos são a favor da eutanásia
    4:03

    Eutanásia

    Um manifesto e milhares de assinaturas pediram a despenalização da morte assistida a pedido do doente. Como classe profissional, os médicos estão contra, apesar de muitos serem pessoalmente a favor. A eutanásia já é permitida em alguns países e em Portugal há muito que o debate está instalado.

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.