sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas

"Europa está unida no combate à radicalização e à violência"

"Europa está unida no combate à radicalização e à violência"

A chefe da diplomacia europeia já comentou os ataques desta manhã em Bruxelas. Federica Mogherini diz que a Europa está unida e vai reagir de forma conjunta a este atentado e prevenir a radicalização e a violência.

  • Atentados no aeroporto e metro de Bruxelas

    Atentados em Bruxelas

    Bruxelas foi hoje alvo de ataques terroristas, o balanço de vítimas subiu para 34 mortos e mais de 200 feridos. Duas grandes explosões ocorreram ao início da manhã, às 8:00 locais (7:00 em Lisboa) no Aeroporto de Zaventem. Cerca de uma hora depois, uma nova explosão registou-se numa estação de metro Maelbeek, próximo do quarteirão das instituições europeias. Entre os feridos está uma portuguesa. O alerta antiterrorista está no nível máximo no país, a população foi aconselhada a ficar onde está.

  • Português que estava a caminho do aeroporto de Bruxelas descreve ambiente de pânico
    4:06

    Atentados em Bruxelas

    Filipe Teixeira é um português a viver em Bruxelas há quatro anos que estava a caminho do aeroporto para viajar para Portugal quando ocorreram as explosões. Este emigrante descreve o ambiente de pânico vivido na capital belga e lamenta o medo e a desconfiança de que ele próprio é alvo, algo que não acontecia há três anos, relata o português obrigado a adiar a viagem para a terra natal.

  • Carlos Moedas dá conta de um clima de medo em Bruxelas
    1:29

    Atentados em Bruxelas

    Carlos Moedas considera que esta é uma época terrível para a Europa. O comissário europeu para a Investigação, Inovação e Ciência está em Bruxelas, falou ao telefone com a SIC e disse que a Comissão Europeia está a trabalhar para garantir segurança das pessoas. Carlos Moedas dá conta de um clima de medo na capital belga.

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite