sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Ministro israelita acusa Europa de ter ignorado perigo

Um ministro israelita acusou hoje a Europa de ter ignorado o perigo de "células terroristas islamitas" no seu solo e ter preferido criticar Israel.

"Repito: vários são aqueles na Europa que preferiram dedicar-se à loucura de condenar Israel, colocar etiquetas nos seus produtos e a boicotar, enquanto no mesmo momento, sob o nariz dos cidadãos do continente, cresciam milhares de células terroristas extremistas islamitas", afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Espaço, Ofir Akunis, numa reação aos atentados de Bruxelas, na sua página na rede social Facebook.

Akunis, considerado próximo do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, referia-se à decisão da UE de rotular os produtos provenientes dos colonatos judaicos nos territórios palestinianos para os distinguir dos fabricados em Israel.

A UE denuncia regularmente a colonização judaica nos territórios palestinianos, que considera ilegal.

Uma grande parte da direita israelita denunciou esta rotulagem como um boicote contra Israel, o que a UE negou.

"Para nosso grande desgosto, a realidade atingiu dezenas de inocentes", disse, ao apresentar as suas condolências aos belgas e aos familiares das vítimas.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.