sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

"Os nossos mortos merecem mais do que o nosso ódio", lembra BE

O BE afirmou hoje que a primeira resposta aos atentados de hoje em Bruxelas deve ser da mais humilde humanidade, defendendo que aqueles que morreram "merecem mais do que o ódio" pelos terroristas.

Virginia Mayo

"Confrontados com este terror, a nossa primeira resposta deve ser da mais humilde humanidade", afirmou Pedro Filipe Soares, numa declaração em nome da bancada do BE, antes da aprovação, por unanimidade, de um voto de condenação e pesar da Assembleia da República pelos atentados terroristas em Bruxelas.

"Os nossos mortos merecem mais do que o nosso ódio e o ódio era a vitória daqueles que quiseram levar as bombas e que mataram com essas bombas", disse.

Para o líder da bancada parlamentar do BE, aqueles que em Bruxelas, Paris ou Madrid pereceram perante o terror, exigem que a Europa não se vergue perante o ódio e não deixe cair aquilo que construiu: "A liberdade, a defesa do Estado de direito e a garantia que é pela positiva que os direitos se exercem e não pela negativa".

"Não aceitamos ser instrumentalizados naquilo que aqueles que colocaram as bombas querem: que haja um choque de civilizações e de religiões", enfatizou.

Segundo Pedro Filipe Soares houve "desprezo pela vida daqueles que quiseram matar indiscriminadamente", deixando uma "palavra de solidariedade para com o povo belga, para com os povos europeus que foram vítimas de terrorismo e para com as famílias e os amigos daqueles que pereceram".

O deputado bloquista defendeu, por isso, uma resposta singela, que seja "pela positiva, pela afirmação que não há medo que possa destruir" aquilo que custou tanto a construir, como a liberdade e os Estados de direito.

Pelo menos 34 pessoas morreram e perto de duas centenas ficaram feridas nas três explosões registadas hoje em Bruxelas -- duas no aeroporto internacional de Zaventem e uma na estação de metro de Maalbeek, junto às instituições europeias, no centro da capital belga.

O nível de alerta terrorista na Bélgica foi elevado para quatro, o máximo da escala.

Lusa

  • "É necessário reafirmar a solidariedade europeia"
    2:02

    Atentados em Bruxelas

    A propósito dos atentados desta manhã em Bruxelas, o Presidente da República afirmou que é necessário lutar pela democracia, a liberdade, a paz e é necessário reafirmar a solidariedade europeia. Marcelo Rebelo de Sousa disse que já teve oportunidade de comunicar ao Rei Filipe da Bélgica que Portugal está solidário com a situação belga. Marcelo está a acompanhar os acontecimentos com especial atenção à portuguesa ferida nos ataques.

  • Terrorismo volta a abalar a Europa, 34 mortos em Bruxelas
    5:26

    Atentados em Bruxelas

    Pelo menos 34 mortos e pelo menos 200 feridos é o balanço de mais um atentado na Europa. Desta vez os alvos foram um aeroporto e uma estação de metro de Bruxelas. O terrorismo volta a abalar violentamente território europeu. As primeiras explosões ocorreram por volta das 7:00, hora de Lisboa, num dos principais aeroportos da capital belga.

  • Daesh reivindica autoria dos atentados

    Atentados em Bruxelas

    A mensagem foi difundida pela agência de notícias do próprio grupo terrorista e confirmada por um elemento dos Serviços Secretos do Iraque que, sob anonimato, confirmou que a operação foi planeada há dois meses, em Raqqa, no norte da Síria.

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.