sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Segundo suicida do aeroporto de Bruxelas identificado

O segundo suicida do aeroporto de Bruxelas foi identificado como Najim Laachraoui, segundo o jornal francês Le Monde e vários média belgas. A informação foi corroborada por fontes policiais citadas pela agência France Press. O suspeito, que terá também ligações aos ataques de Paris, já tinha sido hoje apontado como o terceiro homem em fuga e procurado pelas autoridades.

O homem mais à direita na foto continua foragido e por identificar.

O homem mais à direita na foto continua foragido e por identificar.

Najim Laachraoui terá sido afinal um dos três bombistas que se fez explodir nos ataques de terça-feira, em Bruxelas, além dos irmãos El Bakraoui.

Será o homem da esquerda na imagem de videovigilância e não o da direita, como chegou a ser noticiado esta manhã. O homem de chapéu, que se terá arrependido e não detonou a bomba que transportava, continua em fuga e por identificar.

Laachraoui era conhecido sob o nome falso de Soufiane Kayal. Terá sido ele a fabricar os engenhos explosivos para o massacre de novembro na capital francesa.

Última atualização às 19:07

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.