sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Autarca de Molenbeek proíbe manifestação de extrema-direita

A autarca da comuna de Molenbeek, em Bruxelas, confirmou hoje ter proibido uma manifestação agendada para sábado por um grupo de extrema-direita sob o lema "islamitas fora da Europa".

© Francois Lenoir / Reuters

Françoise Schepmans afirmou que serão tomadas "as medidas necessárias nos distritos policiais para evitar que grupos extremistas entrem na região de Bruxelas e possam chegar a Molenbeek", depois de estar aprovado um decreto policial para proibir qualquer manifestação na comuna.

"Os grupos extremistas não têm lugar em Molenbeek. Vivemos um período em que é necessário respeitar a reserva e o recolhimento", concluiu a autarca, citada pela imprensa belga.

Fundado em 2012 e com mais de 107 mil 'gostos' na rede social Facebook, o movimento "Génération Identitaire" apresenta-se como "político" e apela que a juventude aja para a "reconquista", face à "onda de imigração em massa".

Na sua página na Internet, o movimento insta a "juventude europeia" a reunir-se, sábado à tarde, numa praça de Moleenbeek para transmitir a mensagem "islamitas fora da Europa".

A comuna tem sido alvo de inúmeras operações policiais antiterroristas e foi o local onde Salah Abdeslam, um dos principais suspeitos dos atentados de 13 de novembro de Paris, foi detido.

Ao canal televisivo belga RTBF, a autarca local tinha afirmado anteriormente não ter recebido qualquer pedido para a manifestação decorrer, mas que, de qualquer forma, não será autorizada.

"Quando lutamos contra o extremismo, lutamos contra todos os extremismos", afirmou Françoise Schepmans.

No passado domingo, na praça da Bolsa, na baixa de Bruxelas, um grupo de várias centenas de homens concentrou-se junto do memorial improvisado às vítimas dos atentados de dia 22 e adotou atitudes provocatórias.

A concentração terminou com uma ação policial de desmobilização do grupo, através de canhões de água, até à Estação do Norte. Para o percurso entre a Bolsa e a estação esteve agendada a 'marcha contra o medo', que as autoridades solicitaram que fosse adiada por razões de segurança.

Em declarações à Lusa, um desses homens, que recusou identificar-se, garantia que em causa estavam imigrantes "que tinham tudo, sem necessidade de trabalhar".

O mesmo homem escusou-se a revelar a forma como a concentração, com elementos nomeadamente de Antuérpia e Gent, foi combinada, mas sublinhou que o grupo "está preparado para a guerra".

Nos atentados morreram 32 pessoas.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59