sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

PM belga recusa que país seja visto como um "falhanço" na luta contra o terrorismo

O primeiro-ministro belga recusou hoje que o país seja sinónimo de falhanço em termos de terrorismo, lembrando os quatro meses de captura de Salah Abdeslam, envolvido nos ataques de Paris, contra os anos necessários para encontrar Osama Bin Laden.

Primeiro-ministro belga, Charles Michel

Primeiro-ministro belga, Charles Michel

© Francois Lenoir / Reuters

"Não aceito a ideia de que o país é um falhanço", afirmou Charles Michel, num encontro com a imprensa estrangeira, em Bruxelas, enumerando as 100 condenações judiciais, ligadas ao terrorismo, registadas no ano passado e a prevenção de vários ataques.

O chefe do executivo sublinhou que a Bélgica demorou quatro meses a deter Abdeslam, enquanto os Estados Unidos "precisaram de anos" para neutralizar o líder e fundador da Al-Qaeda, Osama Bin Laden.

Quando passam duas semanas sobre os atentados do aeroporto e do metropolitano da capital belga, que mataram mais de 30 pessoas, o primeiro-ministro notou ainda que "muito frequentemente" os perpetuadores de ataques "são identificados num ou noutro local".

"Foi o mesmo noutros ataques", resumiu Charles Michel, reportando-se às informações que, por exemplo, a Turquia tinha feito chegar à Bélgica, durante o verão de 2015, sobre um dos bombistas de 22 de março.

Atualmente, a prioridade, segundo o governante, é trabalhar na maior partilha de informação e acelerar nomeadamente o Registo Nacional de Passageiros (conhecido pela sigla PNR, em inglês) "que está a ser discutido há 10 anos".

Charles Michel admitiu que a Bélgica, "um país pequeno no coração da Europa", revela-se como um "sítio fácil para organizar ataques noutros países".

"Temos que trabalhar de forma mais eficaz", repetiu, por diversas vezes à imprensa estrangeira o governante, indicando ser uma tarefa global o combate à radicalização e ao terrorismo e que "não existe o risco zero".

Na conferência de imprensa dirigida a correspondentes de órgãos estrangeiros de comunicação social, o ministro-presidente da Região Bruxelas-Capital, Rudi Vervoort anunciou o objetivo de ter o metro a funcionar totalmente no final da próxima semana.

Os dirigentes repetiram várias vezes a mensagem de que "está de volta a vida normal em Bruxelas e à Bélgica", reconhecendo "um antes e um depois de 22 de março".

A reabertura progressiva dos voos no aeroporto de Zaventem, as patrulhas mistas de polícias e militares, assim como reforço de pessoas e meios a nível da segurança, mas mantendo o respeito pelo direito à vida privada, foram pontos sublinhados.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.