sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

PM belga recusa que país seja visto como um "falhanço" na luta contra o terrorismo

O primeiro-ministro belga recusou hoje que o país seja sinónimo de falhanço em termos de terrorismo, lembrando os quatro meses de captura de Salah Abdeslam, envolvido nos ataques de Paris, contra os anos necessários para encontrar Osama Bin Laden.

Primeiro-ministro belga, Charles Michel

Primeiro-ministro belga, Charles Michel

© Francois Lenoir / Reuters

"Não aceito a ideia de que o país é um falhanço", afirmou Charles Michel, num encontro com a imprensa estrangeira, em Bruxelas, enumerando as 100 condenações judiciais, ligadas ao terrorismo, registadas no ano passado e a prevenção de vários ataques.

O chefe do executivo sublinhou que a Bélgica demorou quatro meses a deter Abdeslam, enquanto os Estados Unidos "precisaram de anos" para neutralizar o líder e fundador da Al-Qaeda, Osama Bin Laden.

Quando passam duas semanas sobre os atentados do aeroporto e do metropolitano da capital belga, que mataram mais de 30 pessoas, o primeiro-ministro notou ainda que "muito frequentemente" os perpetuadores de ataques "são identificados num ou noutro local".

"Foi o mesmo noutros ataques", resumiu Charles Michel, reportando-se às informações que, por exemplo, a Turquia tinha feito chegar à Bélgica, durante o verão de 2015, sobre um dos bombistas de 22 de março.

Atualmente, a prioridade, segundo o governante, é trabalhar na maior partilha de informação e acelerar nomeadamente o Registo Nacional de Passageiros (conhecido pela sigla PNR, em inglês) "que está a ser discutido há 10 anos".

Charles Michel admitiu que a Bélgica, "um país pequeno no coração da Europa", revela-se como um "sítio fácil para organizar ataques noutros países".

"Temos que trabalhar de forma mais eficaz", repetiu, por diversas vezes à imprensa estrangeira o governante, indicando ser uma tarefa global o combate à radicalização e ao terrorismo e que "não existe o risco zero".

Na conferência de imprensa dirigida a correspondentes de órgãos estrangeiros de comunicação social, o ministro-presidente da Região Bruxelas-Capital, Rudi Vervoort anunciou o objetivo de ter o metro a funcionar totalmente no final da próxima semana.

Os dirigentes repetiram várias vezes a mensagem de que "está de volta a vida normal em Bruxelas e à Bélgica", reconhecendo "um antes e um depois de 22 de março".

A reabertura progressiva dos voos no aeroporto de Zaventem, as patrulhas mistas de polícias e militares, assim como reforço de pessoas e meios a nível da segurança, mas mantendo o respeito pelo direito à vida privada, foram pontos sublinhados.

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC