sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Contagem final de vítimas dos atentados em Bruxelas ainda não acabou

Um procurador federal belga afirmou hoje, na comissão de inquérito parlamentar, que a lista das vítimas dos atentados de Bruxelas ainda não está fechada por faltar contabilizar feridos que abandonaram o aeroporto e o metropolitano.

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

Várias mensagens, em várias línguas, foram escritas a giz no chão em Bruxelas, Bélgica

© Charles Platiau / Reuters

Segundo Frédéric Van Leeuw, além das pessoas que abandonaram os locais afetados pelas explosões de 22 de março, também falta contabilizar feridos que procuraram assistência médica pelos próprios meios e que "não podem ser esquecidos".

Cerca de 300 processos devem agora ser examinados para garantir que os sobreviventes fazem valer os seus direitos.

Apoiada numa base cientifica, a identificação dos mortos iniciou-se dois dias depois dos ataques reivindicados pelos extremistas do Estado Islâmico e completada numa semana, sem qualquer erro, acrescentou Van Leeuw.

Os atentados mataram 32 pessoas e devido às consequências das explosões em alguns cadáveres foram realizadas análises de ADN e, na medida do possível, reconstituições dos corpos, disse.

Ainda há 500 partes de corpos para identificar, oriundas sobretudo da estação de metropolitano de Maelbeek.


Lusa

  • "O bom senso obriga a acordo para a estabilização do sistema financeiro"
    2:06

    Economia

    O Presidente da República disse esta quarta-feira que "o bom senso obriga a que todos estejam de acordo para a estabilização do sistema financeiro". Num aparente recado a Passos Coelho, Marcelo apelou a um consenso de regime e avisou que "não há prazer tático que justifique o desgaste" provocado pelas divisões atuais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.