sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Atentados em Bruxelas

Detido mais um suspeito de participar nos ataques de Bruxelas

O homem que foi detido esta noite por alegado envolvimento nos atentados de Bruxelas de 22 de março trabalhava no aeroporto de Zaventem, tinha acesso direto aos aviões na pista e era amigo de infância de Khalid El Bakraoui.

© Francois Lenoir / Reuters

O detido, Youssef E.A., de 31 anos, era também amigo de outros suspeitos de terem participado nos ataques e suspeita-se de que esteve no apartamento de Etterbeek, em Bruxelas, onde foi preparado o atentado da estação de metro de Maelbeek.

Foram descobertas no seu computador mensagens do bombista suicida Khalid El Bakraoui, que indicavam que todas as terças-feiras saem de Zaventem voos para os Estados Unidos, Rússia e Israel.

Os três terroristas do aeroporto tinham planeado fazer-se explodir nas filas de embarque para os voos com aqueles destinos.

Najim Laachraoui e Ibrahim El Bakraoui fizeram-no, mas o terceiro homem, Mohamed Abrini, fugiu e abandonou a carga de explosivos.

O computador de Youssef E.A. continha também uma mensagem de outubro de 2015 que dizia: "um dos nossos irmãos passará à ação a 22 de março de 2016".

Youssef E.A. tem nacionalidade belga e foi detido ao abrigo de um mandato de captura, informaram as autoridades belgas.

Com este, são já oito as pessoas detidas desde março, na sequência das investigações aos atentados de Bruxelas.

Lusa

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.