sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Aeroporto de Bruxelas sem plano de emergência para ataques terroristas

O aeroporto de Bruxelas está sem plano para responder a ataques terroristas como os de 22 de março e a comunicação entre os serviços de socorro foi desastrosa, segundo um relatório hoje divulgado pela imprensa belga.

Os atentados de Bruxelas fizeram mais de 30 mortos e cerca de 300 feridos.

Os atentados de Bruxelas fizeram mais de 30 mortos e cerca de 300 feridos.

© POOL New / Reuters

A gestão da situação e a falta de comunicação entre serviços de socorro nas primeiras horas após as duas explosões de bombistas suicidas no aeroporto internacional de Zaventen são criticadas num relatório da comissão de inquérito do parlamento federal, divulgado pelo Le Soir e a televisão pública RTBF.

"A 22 de março, assistimos a uma falha total da comunicação", concluíram os relatores, dando como exemplo a saturação da rede de rádio usada pela polícia e bombeiros, de tal modo que falharam 34 mil tentativas de comunicação, quase uma em cada quatro.

No relatório defende-se uma revisão profunda do funcionamento do centro de crise e lamenta ainda o congestionamento das redes de telemóveis, que deixaram de funcionar.

"Na prática, os serviços de socorro recorreram várias vezes a soluções criativas", refere o documento, tendo sido usadas aplicações como o WhatsApp para os vários intervenientes conseguirem comunicar e coordenar-se entre si.

A comissão de inquérito refere ainda que os planos de emergência concebidos para o aeroporto não previam atentados terroristas, pelo que nunca houve exercícios neste âmbito e apela a que estes sejam revistos "com urgência".

Por seu lado, a empresa que explora a rede de metro, autocarros e elétricos, a STIB, tinha já feito um plano de emergência após os atentados na estação de comboios Atocha, em Madrid, em 2004, e um centro de comando foi imediatamente ativado após o atentado na estação do metro de Maelbeeck.

Os atentados de 22 de março, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, fizeram um total de 32 mortos no aeroporto e no metro em Bruxelas.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.