sicnot

Perfil

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas - 1 ano

Atentados em Bruxelas

Mais de 500 polícias pediram ajuda psicológica depois dos atentados de Bruxelas

Mais de 500 polícias pediram ajuda psicológica depois dos atentados de 22 de março em Bruxelas, que fizeram 32 vítimas mortais, informa a cadeia de rádio e televisão RTBF na sua página na Internet.

O ministro do Interior belga, Jan Jambon, indicou que 520 agentes recorreram aos serviços de apoio psicológico da polícia federal depois dos ataques no aeroporto de Zaventem e na estação de metro de Maelbeek.

"Trata-se sobretudo de pedidos em grupo das unidades para os elementos do pessoal que atuaram no aeroporto ou na estação de metro de Maelbeelk", esclareceu o ministro em resposta a uma questão parlamentar escrita, citada pela RTBF.

Mais de quatro meses depois dos atentados, os oficiais da polícia continuam a poder solicitar este apoio psicológico.

Jambon refere, no entanto, que das 520 pessoas que pediram ajuda até agora apenas uma parte continua a receber tratamento.

Os atentados na capital belga foram reivindicados pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.