Festivais 2018

Sara Tavares, Capicua e Mariza atuam no dia 18 em Paris em espetáculo gratuito

As cantoras portuguesas Sara Tavares, Capicua e Mariza atuam a 18 de julho em Paris, num espetáculo gratuito, no âmbito do festival Paris L'Éte, que decorre na capital francesa entre 16 de julho e 04 de agosto.

No "grande concerto gratuito" Paris-Lisbonne, que irá decorrer na Place de l'Hôtel de Ville, no 4.º bairro de Paris, irão também atuar a jovem cantora francesa Hoshi e o grupo Paris Combo, de acordo com a organização em comunicado.

O espetáculo servirá para assinalar 20 anos do Pacto de Amizade e Cooperação entre Lisboa e Paris, "fruto de um longo relacionamento alimentado tanto pela História como pela efervescência criativa do presente".

Além da música, a iniciativa inclui projeção de filmes -- "Lisbonne Joyeuse", de Miguel Munha, e "Paris Joyeuse", de Cyril Teste - num ecrã gigante e uma zona de restauração -- "com especialidades nas cores do sul e pastéis de nata".

Também no âmbito dos 20 anos do Pacto de Amizade e Cooperação entre Lisboa e Paris, o Théatre de la Ville organiza no sábado à noite a iniciativa 'Paris-Lisbonne Stories', no Espace Cardin.

De acordo com a organização da iniciativa, num comunicado hoje divulgado, trata-se de "uma noite festiva com muitas facetas e maneiras de participar, com o Espace Cardin, em Paris, com uma ligação em vídeo em tempo real ao Teatro São Luiz, em Lisboa".

"Um fluxo de vídeo bidirecional para inaugurar uma nova rede e apagar os 1.689 quilómetros que separam os dois teatros, mergulhar o espetáculo na era digital e criar oportunidades de partilha", refere a organização, acrescentando que será também "a primeira viagem oficial de Abd Al Malik enquanto artista embaixador da temporada dos 50 anos do Théatre de la Ville".

A temporada de comemoração do 50.º aniversário daquele teatro será "de multiplicação de festividades coletivas para celebrar a fantástica epopeia do teatro, mas também os 70 anos da criação de 'L'État de Siège' [Estado de Sítio, em português, peça escrita por Albert Camus] em 1948 e os 20 anos do Pacto de Amizade Paris-Lisboa".

A noite de sábado no Théatre de la Ville inclui a leitura, por Abd Al Malik e Emmanuel Demarcy-Mota (diretor do Théatre de la Ville) e convidados, de textos de Albert Camus, em francês e em português, e um 'DJ Set' franco-português com Filipa França Barros.

A peça "Estado de Sítio", com encenação de Emmanuel Demarcy-Motta, será apresentada no Teatro São Luiz, em Lisboa, no sábado e no domingo, no âmbito do 35.º Festival de Almada.

Lusa

  • "Bebemos a água que escorria das rochas"

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador que ficaram presos numa gruta na Tailândia durante 18 dias revelaram hoje alguns pormenores de como sobreviveram, na primeira conferência de imprensa.

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16
  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.