sicnot

Perfil

Festivais de Verão

Festivais de Verão

Festivais de Verão

Enchente na primeira noite de Paredes de Coura

A noite de abertura da 23ª edição do festival Paredes de Coura contou com um recinto cheio para ouvir bandas como TV on the Radio, que chegaram a elogiar a dança dos presentes.

Para o dia de hoje já não há bilhetes diários disponíveis, com os australianos Tame Impala como principal atração, além de artistas como Father John Misty ou Iceage, entre outros.

Para o dia de hoje já não há bilhetes diários disponíveis, com os australianos Tame Impala como principal atração, além de artistas como Father John Misty ou Iceage, entre outros.

JOSE COELHO / Lusa

O diretor do Vodafone Paredes de Coura, João Carvalho, havia afirmado, dias antes do começo do festival, que esperava "a maior enchente de sempre", ao terem esgotado os passes gerais pela primeira vez na história do festival cujo recinto tem capacidade para 25 mil pessoas.

"Boa dança, boa dança", afirmou, a dada altura do concerto, o vocalista de TV on the Radio, Tunde Adebimpe, banda que encerrou a noite no palco principal, perante um festival de Paredes de Coura que levantava pó, principalmente, na zona mais próxima do palco, onde a agitação era manifestada, quer pelos empurrões quer pelo 'crowdsurfing'.

Os norte-americanos, que apresentavam o mais recente álbum, intitulado "Seeds", depois de cancelados os concertos que tinham previstos para fevereiro em Lisboa e Porto, iniciaram a atuação, porém, com uma canção do passado da sua discografia, "Young Liars", tema que deu nome ao EP de estreia da banda em 2003.

Antes, haviam passado pelo palco principal do festival -- o único ativo durante a primeira noite -- os outros cabeças de cartaz da noite, os ingleses Slowdive, que atuaram em Portugal pela segunda vez em pouco mais de um ano, depois da passagem pelo Primavera Sound do Porto em 2014.

A edição deste ano de Paredes de Coura arrancou com Gala Drop, seguindo-se uns "muito cansados" Ceremony, como reconheceu o vocalista no último concerto da digressão e os britânicos Blood Red Shoes.

Para o dia de hoje já não há bilhetes diários disponíveis, com os australianos Tame Impala como principal atração, além de artistas como Father John Misty ou Iceage, entre outros.

Lusa

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contigo" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.