sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Blatter reeleito presidente da FIFA

O suíço Joseph Blatter foi esta sexta-feira reeleito para um quinto mandato como presidente da FIFA, até 2018, ao vencer o jordano Ali bin al Hussein, num sufrágio realizado no 65º Congresso do organismo que tutela o futebol mundial.

Blatter irá cumprir um quinto mandato à frente do organismo que gere o futebol mundial.

Blatter irá cumprir um quinto mandato à frente do organismo que gere o futebol mundial.

WALTER BIERI / Lusa

Blatter, de 79 anos, acabou por ser eleito ao final da primeira volta, depois de o seu oponente ter anunciado que não disputaria uma segunda volta.

O suíço é o oitavo presidente da FIFA, tendo sucedido, em 1998, ao brasileiro João Havelange. Na eleição de hoje, à qual chegaram a ser candidatos o português Luís Figo e o holandês Michael van Praag, 

Blatter recebeu 133 votos a favor, contra 73 de Ali bin al Hussein.

O português Luís Figo já reagiu à reeleição de Joseph Blatter. Em mensagem divulgada nas redes sociais, o ex-candidato à presidência da FIFA considerou mesmo que se Blatter "tiver um mínimo de decência, terá de resignar nos próximos dias".

"Esta votação serviu apenas para caucionar a eleição de um homem que não pode se manter à frente do futebol mundial (...). Ou o sr. Blatter sabia e foi conivente com os atos de corrupção e tráfico de influências, ou, se não sabia - como ele diz -, é porque não tem capacidade para liderar a FIFA. Não há outra forma de ver o problema", pode ler-se na nota divulgada por Figo.

Também a Federação Portuguesa de Futebol já criticou a eleição de Blatter, reafirmando que o processo "não decorreu normalmente" e que as eleições deveriam ter sido adiadas.

"Quando uma organização se desliga da realidade e se fecha sobre si própria, corre o risco de implodir", refere um comunicado da FPF, duvulgado logo a seguir à votação que levou em Zurique, Suíça, à reeleição do suíço Joseph Blatter como presidente da FIFA.
  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.