sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Federação Portuguesa de Futebol defende que FIFA "corre o risco de implodiir"

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) já criticou a eleição desta sexta-feira para a presidência da FIFA, reafirmando que o processo "não decorreu normalmente" e que as eleições deveriam ter sido adiadas.

"Quando uma organização se desliga da realidade e se fecha sobre si própria, corre o risco de implodir", refere um comunicado da FPF, duvulgado logo a seguir à votação que levou em Zurique, Suíça, à reeleição do suíço Joseph Blatter como presidente da FIFA.

"Quando uma organização se desliga da realidade e se fecha sobre si própria, corre o risco de implodir", refere um comunicado da FPF, duvulgado logo a seguir à votação que levou em Zurique, Suíça, à reeleição do suíço Joseph Blatter como presidente da FIFA.

WALTER BIERI / Lusa

"Quando uma organização se desliga da realidade e se fecha sobre si própria, corre o risco de implodir", refere um comunicado da FPF, duvulgado logo a seguir à votação que levou em Zurique, Suíça, à reeleição do suíço Joseph Blatter como presidente da FIFA, após três dias conturbados, marcados pela detenção de vários dirigentes, acusados pela justiça norte-americana de associação criminosa e corrupção.

Para a FPF, por isso mesmo se justificava outra solução no congresso da FIFA: "O processo eleitoral não decorreu normalmente e estas eleições foram marcadas por acontecimentos que deveriam ter obrigado ao adiamento das mesmas." 

A FPF recorda ainda o seu apoio a Luís Figo, adversário de Blatter, que desistiu de ir a votos. "Apoiámos um candidato que, pela experiência que teve no terreno, viu antes de muitos que os resultados do dia 29 de maio estavam estabelecidos há muito tempo. A recondução de Joseph Blatter prova que Luís Figo tinha razão quando se recusou a caucionar este processo", refere ainda o comunicado.
Lusa
  • Guterres condena onda de violência em Myanmar
    0:43

    Mundo

    António Guterres condenou a onda de violência e discriminação contra os rohingya em Myanmar, na abertura da assembleia-geral das Nações Unidas. O secretário-geral da ONU pediu ainda às autoridades do país para acabarem com as operações militares e protegerem a comunidade ameaçada.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição na ilha Dominica
    1:52
  • Peritos mundiais debatem doenças neurodegenerativas em Lisboa
    3:04
  • "O Benfica é atacado e não há ninguém que fale e que dê a cara?"
    6:05
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    Depois do artigo publicado no blog "Geração Benfica", Rui Gomes da Silva reiterou esta segunda-feira, em O Dia Seguinte da SIC Notícias, algumas das críticas à estrutura do clube. O antigo vice-presidente do Benfica defendeu Luís Filipe Vieira, Rui Vitória e Nuno Gomes. E acusou novamente Rui Costa de passividade e os vice-presidentes de não darem a cara. 

  • Governo aconselha pais a fazerem queixa de manuais em mau estado
    2:31
  • Acha que este padre sabe dançar?
    2:22