sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Ali bin al-Hussein vai voltar a candidatar-se à presidência da FIFA

O jordano Ali bin al-Hussein vai voltar a candidatar-se à presidência da FIFA, depois de Joseph Blatter ter anunciado hoje a demissão, disse à agência AFP um dos seus colaboradores.

© Jorge Adorno / Reuters

"Em caso de novas eleições, o príncipe Ali está pronto a assumir a presidência da FIFA no imediato", disse à AFP Salah Sabra, vice-presidente da Federação de Futebol da Jordânia, liderada por Ali bin al-Hussein.

Para Salah Sabra, o príncipe jordano está a estudar "o contexto jurídico" do processo eleitoral da FIFA, organismo que "perdeu toda a sua legitimidade".

"O príncipe Ali está pronto a assumir a presidência da FIFA a todo o momento, se lhe pedirem", reforçou Salah Sabra.

Joseph Blatter demitiu-se hoje da presidência da FIFA, na sequência do escândalo de corrupção que abala o organismo máximo do futebol, e anunciou a marcação de um congresso extraordinário para eleição de um sucessor.

Blatter anunciou a sua saída quatro dias após a sua reeleição para um quinto mandado na presidência da FIFA, num ato em que derrotou Ali bin al-Hussein e que aconteceu já depois da detenção sete dirigentes do organismo, na quarta-feira.

Luís Figo, antigo futebolista português, e Michael van Praag, presidente da Federação Holandesa de Futebol, também avançaram com candidaturas, mas retiraram-nas uns dias antes do congresso.

Blatter, de 79 anos, ocupava o cargo desde 1998 e já disse que não se recandidata.

Dois dias antes de Blatter ser reeleito, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos indiciou nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

A acusação foi conhecida horas depois de o Ministério da Justiça e a polícia da Suíça terem detido sete membros da FIFA, num hotel de Zurique.

Lusa
  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho.