sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Platini considera que demissão de Blatter foi a "decisão certa"

O presidente da UEFA, o francês Michel Platini, considerou hoje que a demissão do suíço Joseph Blatter da liderança da FIFA foi a "decisão certa", mas também "difícil" e "corajosa".

© Ruben Sprich / Reuters

"Foi uma decisão difícil, uma decisão corajosa e decisão certa", disse Platini, numa pequena nota publicada pela UEFA.

O suíço Joseph Blatter demitiu-se hoje da presidência da FIFA, na sequência do escândalo de corrupção que abala o organismo máximo do futebol, e anunciou a marcação de um congresso extraordinário para eleição de um sucessor.

O dirigente helvético anunciou a saída quatro dias após a sua reeleição para um quinto mandato na presidência da FIFA, que aconteceu já depois da detenção de sete dirigentes do organismo, na quarta-feira.

Antes desse escrutínio, Platini já tinha publicamente pedido a demissão de Blatter, precisamente devido as detenções que decorreram pouco antes do último congresso da FIFA e que lançaram um escândalo de corrupção no organismo máximo do futebol mundial.

Blatter, de 79 anos, ocupava o cargo desde 1998 e já disse que não se recandidata.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos indiciou nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

A acusação surge depois de o Ministério da Justiça e a polícia da Suíça terem detido sete membros da FIFA, num hotel de Zurique, a dois dias do congresso eleitoral do organismo, que reelegeu Joseph Blatter para um quinto mandato.

Lusa
  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.