sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Dois antigos dirigentes da FIFA na lista dos mais procurados da Interpol

A Interpol colocou hoje na sua lista dos mais procurados Jack Warner e Nicolas Leoz, dois antigos membros do comité executivo da FIFA, a pedido das autoridades norte-americanas. Ambos foram detidos na semana passada e foram entretanto sujeitos a medidas de coação. Podem agora ser presos em qualquer país para onde viajarem.

Além de Warner e Leoz, a Organização Internacional de Polícia Criminal, inclui na lista quatro responsáveis de empresas de marketing, parceiras da FIFA, entre os quais o brasileiro José Lazaro.

Os seis homens estão a ser investigados pelas autoridades norte-americanas pelo alegado pagamento de subornos de 151 milhões de euros (cerca de 140 milhões de euros).

Jack Warner, antigo vice-presidente da FIFA, e Nicolás Leoz, ex-presidente da Confederação da América do Sul (Conmebol), estão entre os nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA acusados de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos.

Ambos foram detidos na semana passada, quando o escândalo rebentou. Warner foi entretanto libertado sob caução e Leoz está em prisão domiciliária. O "alerta vermelho" da Interpol significa que os suspeitos correm risco de prisão em qualquer lugar para onde viajarem.

Na terça-feira, o suíço Joseph Blatter, que a 29 de maio foi reeleito para um quinto mandato, renunciou ao cargo, alegando que "embora legitimado pelos membros da FIFA" não se sentia "mandatado por todo o mundo do futebol, aos adeptos, os jogadores ou os clubes".


Com Lusa
  • "É abusivo falar de fuga ao fisco"
    4:10

    Economia

    Dez mil milhões de euros é o valor de que se fala das transferências para contas offshore, que terão escapado à Autoridade Tributária. O número impressiona, mas é preciso notar que este dinheiro é capital que sai do país e o capital não está sujeito ao pagamento de imposto só porque sai do país. O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro esteve no Jornal da Noite para dar mais explicações sobre o caso.