sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Procurador suíço admite interrogar Blatter

O Procurador-geral da Confederação Suíça admitiu hoje a hipótese de interrogar o presidente da FIFA, Joseph Blatter, no âmbito do escândalo de corrupção que atingiu o organismo internacional de futebol, indicando que o processo de investigação será longo.

(EPA/ Arquivo)

(EPA/ Arquivo)

ENNIO LEANZA

"Serão realizadas entrevistas formais a todas as pessoas relevantes. Por definição, isso não pode excluir entrevistar o presidente da FIFA e/ou o seu secretário-geral [Jerôme Valcke]", disse Michael Lauber, que está a investigar, entre outras matérias, a atribuição da organização dos Mundiais de 2018 e 2022 à Rússia e ao Qatar, respetivamente.

Em conferência de imprensa, o procurador suíço adiantou que um total de 104 relações bancárias foi identificado e consta da investigação, que qualificou de "muito complexa", admitindo que poderá "demorar algum tempo" até que seja deduzida, ou não, qualquer acusação.

"O mundo do futebol deve ser paciente", observou Lauber, que foi hoje reconduzido no cargo, adiantando que os bancos suíços "sinalizaram 53 relações bancárias suspeitas" à autoridade que combate o branqueamento de capitais.

O Ministério Público suíço anunciou a 27 de maio a abertura de um processo contra desconhecidos por suspeitas de fraude e lavagem de dinheiro no âmbito das atribuições das duas próximas edições do Mundial, enquanto a polícia helvética detinha sete membros da FIFA, num hotel de Zurique.

No mesmo dia, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos indiciou nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

Dois dias depois, Joseph Blatter foi reeleito para um quinto mandato à frente do organismo, mas acabou por se demitir, na sequência do escândalo.

Lusa
  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.