sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Chuck Blazer expulso do futebol para sempre

O norte-americano Chuck Blazer foi irradiado do futebol pelo Comité Independente de Ética da FIFA, pelo seu envolvimento no caso de corrupção que abalou a instituição, anunciou hoje o organismo que tutela o futebol mundial.

© Arnd Wiegmann / Reuters

"Blazer cometeu muitos e variados atos de comportamento impróprio, continuadamente e repetidamente, durante o seu mandato como dirigente em vários altos cargos e posições de influência na FIFA e na CONCACAF [Confederação da América do Norte, Central e Caraíbas]", lê-se no comunicado.

Blazer, de 70 anos, foi uma das principais fontes da investigação das autoridades norte-americanas à FIFA e à CONCACAF, que levou à prisão de antigos e atuais dirigentes do organismo, assim como de parceiros, em maio.

Este caso aconteceu na véspera do início do Congresso da FIFA, em que Joseph Blatter foi reeleito para um quinto mandato como presidente, demitindo-se, contudo, poucos dias depois.

Antigo secretário-geral da CONCACAF, a confederação da América do Norte, Central e Caraíbas, entre 1990 e 2011, Blazer foi membro do comité executivo da FIFA entre 1997 e abril de 2013.

Blazer denunciou subornos para as atribuições dos Mundiais de 1998 e 2010, as comissões pedidas pela exclusividade de difusão de torneios, entre outras situações que levaram a que a justiça norte-americana avançasse com um processo de associação criminosa e corrupção contra vários dirigentes da FIFA, em vésperas do último congresso.

O norte-americano assumiu-se culpado em novembro de 2013 de dez tipos de crimes, mas deverá ter a pena reduzida, se respeitar o acordo com a justiça.

A 27 de maio as autoridades norte-americanas acusaram 14 pessoas no âmbito deste processo, entre as quais nove dirigentes da FIFA, por crimes praticados ao longo dos últimos 25 anos.

Lusa

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11