sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Blatter demarca-se da atuação dos membros do comité executivo da FIFA

O presidente demissionário da FIFA, o suíço Joseph Blatter, demarcou-se esta sexta-feira do trabalho dos membros do comité executivo do organismo, envolvido num escândalo de alegada corrupção desde meados de maio.

Blatter, que poucos dias depois da eleição para um quinto mandato colocou o lugar à disposição devido ao escândalo de corrupção, assegura ser capaz de se defender sozinho. (Arquivo)

Blatter, que poucos dias depois da eleição para um quinto mandato colocou o lugar à disposição devido ao escândalo de corrupção, assegura ser capaz de se defender sozinho. (Arquivo)

© Ruben Sprich / Reuters

"O presidente da FIFA deve trabalhar com as pessoas designadas pelas confederações. Não posso ser responsável pela conduta de pessoas que não escolhi", refere Blatter numa coluna de opinião na FIFA Weekly, uma publicação do organismo.

Blatter, que poucos dias depois da eleição para um quinto mandato colocou o lugar à disposição devido ao escândalo de corrupção, assegura ser capaz de se defender sozinho.

"A indignação geral que tem assolado a FIFA tem recaído sobretudo na minha pessoa. Não tenho problema nenhum com isso, porque me posso defender. Apelo ao sentido de justiça da opinião pública", refere Blatter.

O presidente da FIFA considera ser "impossível mudar a moral das pessoas", mas diz acreditar que se pode "controlar melhor o comportamento humano".

Blatter refere que em 40 anos de trabalho na FIFA já passou "por quase tudo o que se pode passar no futebol" e alude ao facto de algumas confederações darem pouca importância às questões de ética.

"Quando a FIFA quis a aplicar regras de conduta ética a toda a organização, todas as confederações, exceto a asiática, se opuseram. A UEFA não tem atualmente nenhuma comissão de ética. A federação alemã também não", assinalou.

A terminar, Blatter afirma que "apesar de ser o foco, a questão de quem ocupa a presidência é um assunto marginal" e deixa um apelo ao congresso, agendado para dia 20 de julho: "Espero que congresso não se fique pela aparência, porque o que está em jogo é, nem mais nem menos, que o futuro da FIFA.

O escândalo de corrupção eclodiu dias antes das eleições para a presidência da FIFA, às quais Blatter, de 70 anos, se recandidatava pela quinta vez.

Apesar da convulsão na organização, Blatter manteve a sua candidatura e ganhou as eleições, para anunciar dias depois a intenção de renunciar à liderança, sob intensa pressão internacional.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos indiciou em maio nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de conspiração e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (quase 140 milhões de euros).

A FIFA suspendeu ainda provisoriamente 11 pessoas de toda a atividade ligada ao futebol: os nove dirigentes ou ex-dirigentes indiciados e ainda Daryll Warner, filho de Jack Warner, e Chuck Blazer, antigo homem forte do futebol dos Estados Unidos, ex-membro do Comité Executivo da FIFA e alegado informador da procuradoria norte-americana, que já esteve suspenso por fraude.

Simultaneamente, as autoridades suíças abriram uma investigação à atribuição dos Mundiais de 2018 e 2022 à Rússia e ao Qatar.

Lusa

  • Ex-membro do Comité Executivo da FIFA admite subornos nos Mundiais de 1998 e 2010
    2:27

    Desporto

    O ministro britânico do Desportos disse esta manhã que se forem provados os casos de corrupção na FIFA, deveria ser feita uma nova escolha para os países organizadores dos mundiais de 2018 e 2022. Entretanto, a sede da federação venezuelana de futebol foi alvo de buscas nas últimas horas e a polícia sul-africana abriu um inquérito por existirem suspeitas de que podem ter sido pagos subornos aquando da atribuição do Mundial de 2010 à Africa do Sul. As autoridades norte-americanas e suíças, que lideram as duas investigações internacionais aos casos de corrupção na FIFA, não excluem a possibilidade de virem a ser investigadas outras federações nacionais de futebol, espalhadas pelo mundo.

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • "Não se pode voltar atrás, o povo de Deus confirmou a necessidade deste Papa"
    3:15
  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.