sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Platini quer restaurar imagem da FIFA caso seja eleito presidente

O presidente da UEFA, Michel Platini, prometeu esta quinta-feira restaurar a imagem da FIFA, organismo que superintende o futebol mundial, admitindo que, seja eleito para presidente do organismo, vai preocupar-se mais com o jogo e menos com a política.

"Temos que cuidar do jogo, não da política. Comigo vai-se tratar de futebol, não haverá política. Há muita gente boa no Comité Executivo, nem todos são corruptos", afirmou o gaulês. (Arquivo)

"Temos que cuidar do jogo, não da política. Comigo vai-se tratar de futebol, não haverá política. Há muita gente boa no Comité Executivo, nem todos são corruptos", afirmou o gaulês. (Arquivo)

© Eric Gaillard / Reuters

"Temos que cuidar do jogo, não da política. Comigo vai-se tratar de futebol, não haverá política. Há muita gente boa no Comité Executivo, nem todos são corruptos", afirmou o gaulês à margem de uma reunião do Comité Executivo da FIFA, em Zurique.

O dirigente francês, candidato à liderança da FIFA nas eleições de fevereiro do próximo ano, desvalorizou ainda o facto de alguns membros do Executivo optarem por não marcar presença na reunião, como é o caso do presidente da Associação Brasileira, Marco Polo Del Nero, que abandonou Zurique após a detenção de alguns membros do comité na sequência da investigação por corrupção.

"Não é a primeira vez que algum membro falha a reunião. Estamos numa situação estranha, é óbvio, caso contrário não haveria aqui tantos jornalistas", disse.

Questionado sobre a sua opinião favorável à realização do Mundial de 2022 no Catar e 2018 na Rússia, Platini reconheceu que, no caso do Catar, alterou a sua intenção de voto depois de uma reunião em Paris com Nicolas Sarkozy, então Presidente da República francesa, e dirigentes do Qatar, já que inicialmente votaria a favor dos Estados Unidos.

"Sarkozy nunca me pediu para votar no Catar, simplesmente pensei que seria bom", esclareceu.

Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.