sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Ali bin Hussein oficializa candidatura à presidência da FIFA

O príncipe jordano Ali bin Hussein apresentou oficialmente a sua candidatura à presidência da FIFA, para suceder ao suíço Joseph Blatter, anunciou a sua equipa em comunicado hoje divulgado.

Príncipe Ali Bin Al Hussein

Príncipe Ali Bin Al Hussein

© Muhammad Hamed / Reuters

"Esta manhã [quinta-feira] o príncipe Ali bin Hussein entregou formalmente a sua candidatura à presidência da FIFA, conforme as regras eleitorais e os estatutos da FIFA em vigor", refere o comunicado, sem precisar o nome das cinco federações que o apoiaram.

"Por respeito para com as federações nacionais que apoiaram a sua candidatura, ele decidiu deixar-lhes decidir quando e como tornam o seu apoio público", diz a mesma nota citada pela agência de notícias francesa AFP.

O príncipe Ali é o segundo candidato a formalizar a candidatura, depois de Michel Platini, líder da UEFA, que o fez no dia 8, poucos minutos apenas antes de ser suspenso por 90 dias pelo Comité de Ética do organismo que rege o futebol mundial.

O prazo para entrega de candidaturas à presidência da FIFA, cujas eleições se realizam a 26 de fevereiro de 2016, termina a 26 deste mês.

Blatter e Platini foram suspensos em consequência da implicação no escândalo de corrupção que atingiu a instituição.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15