sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Ali bin Hussein oficializa candidatura à presidência da FIFA

O príncipe jordano Ali bin Hussein apresentou oficialmente a sua candidatura à presidência da FIFA, para suceder ao suíço Joseph Blatter, anunciou a sua equipa em comunicado hoje divulgado.

Príncipe Ali Bin Al Hussein

Príncipe Ali Bin Al Hussein

© Muhammad Hamed / Reuters

"Esta manhã [quinta-feira] o príncipe Ali bin Hussein entregou formalmente a sua candidatura à presidência da FIFA, conforme as regras eleitorais e os estatutos da FIFA em vigor", refere o comunicado, sem precisar o nome das cinco federações que o apoiaram.

"Por respeito para com as federações nacionais que apoiaram a sua candidatura, ele decidiu deixar-lhes decidir quando e como tornam o seu apoio público", diz a mesma nota citada pela agência de notícias francesa AFP.

O príncipe Ali é o segundo candidato a formalizar a candidatura, depois de Michel Platini, líder da UEFA, que o fez no dia 8, poucos minutos apenas antes de ser suspenso por 90 dias pelo Comité de Ética do organismo que rege o futebol mundial.

O prazo para entrega de candidaturas à presidência da FIFA, cujas eleições se realizam a 26 de fevereiro de 2016, termina a 26 deste mês.

Blatter e Platini foram suspensos em consequência da implicação no escândalo de corrupção que atingiu a instituição.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram dvulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.