sicnot

Perfil

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Corrupção na FIFA

Pelé diz que escândalo na FIFA é uma "vergonha"

O ex-futebolista brasileiro Pelé descreveu hoje o escândalo que envolve a FIFA como uma "vergonha" e recusou apoiar qualquer candidato para a presidência do organismo.

RAJAT GUPTA

O brasileiro, considerado como um dos melhores jogadores de sempre, disse ainda que o futebol continua a ser o "jogo bonito" e que não ia ser destruído por aqueles que conduzem o organismo.

"É uma vergonha aquilo que está a acontecer agora [com a FIFA] mas isto não é futebol, isto são algumas pessoas que trabalham no futebol", afirmou aos jornalistas na cidade de Gurgaon, na periferia de Nova Deli, onde está a promover as raízes do futebol.

Em junho, Pelé disse que esperava que "pessoas honestas" tomassem conta da FIFA para limpar o futebol mundial.

Pelé recusou apoiar qualquer candidato para a presidência da FIFA, dizendo apenas que quer "gente boa que respeite as pessoas", mas destacou o presidente da UEFA, o francês Michel Platini.

O presidente da FIFA, o suíço Joseph Blatter, e Platini foram suspensos provisoriamente por 90 dias pelo Comité de Ética do organismo que rege o futebol mundial, no dia 08 de outubro.

O secretário-geral da FIFA, o francês Jérôme Valcke, também foi suspenso provisoriamente por 90 dias, e o sul-coreano Chung Mong-Joon, que assumiu anteriormente a candidatura à sucessão de Blatter na presidência do organismo, a exemplo de Platini, foi suspenso por seis anos e multado em 100.000 francos suíços (perto de 91.000 euros).

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.